Eduardo Pazuello deixa de ser interino e toma posse como ministro da Saúde

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

16 de setembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Como o médico Nelson Teich renunciou devido a um conflito com o Presidente Jair Bolsonaro em Covid-19 no Brasil, o militar Eduardo Pazuello foi contratado hoje como Ministro da Saúde do Brasil. A cerimónia de inauguração foi pouco depois das 17h00. No início do seu discurso, Pazuelo disse: “Agradeço ao Presidente da República a sua confiança.” A seguir, o novo ministro fez um discurso, elogiando o desempenho do governo durante a pandemia, afirmando que depois que ele entrou no departamento de saúde, comece a instruir as pessoas a não "sofrerem para respirar" em casa. Ele também mencionou que o governo alocou milhões de dólares para comprar vacinas contra o novo coronavírus.

Bolsonaro disse primeiro que ser presidente é mais fácil do que ser ministro da Saúde. "Não sou uma pessoa com palpitações. Conversei com os meus ministros. Nenhuma decisão foi tomada na reunião com o ex-Ministro da Saúde. Precisamos controlar o número de mortos em Covid." Ele também teve alta cloroquina. Ele disse que o uso dessa droga pode prevenir muitas mortes — a sua eficácia nunca foi confirmada em vários estudos realizados ao redor do mundo — e que a decisão de usar a droga tinha sido a primeira decisão tomada quando Pazuello chefiou a Saúde. Uma.

Bolsonaro também parabenizou o ministro da Economia, Paul Geddes, por seu papel durante a pandemia. “Parabéns, Guedes. Parabéns ao nosso governo”, disse. Continuou discursando criticando a mídia. Durante a pandemia, ele mostrou-se insatisfeito com a mídia — principalmente a insatisfação com o Globo e o seu Jornal Nacional e com a Folha de S. Paulo por retratar um grande número de infecções e as mortes causadas pela Covid-19 são no Brasil.

A cerimônia de posse foi transmitida ao vivo pelo Twitter do Palácio do Planalto.

Notícias Relacionadas

Fontes


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit