RedeTV! volta a atrasar salários no final de 2011 e início de 2012

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

16 de fevereiro de 2012

Brasil — A RedeTV! atrasou novamente o pagamento dos funcionários nas últimas semanas, mas desta vez são de contratados em regime de Pessoa Jurídica (PJ), revelando que a crise econômica da rede ainda existe. São dezenas de repórteres, editores, produtores e apresentadores, para os quais parte do pagamento já está 15 dias de atrasada (desde 26 de janeiro) referente ao mês de dezembro do ano passado.

Segundo funcionários da emissora, sob condição de anonimato por temerem retaliações da emissora ao portal de notícias "F5", os salários de dezembro deviam ter sidos pagos 50% em 15 de janeiro e 50% em 25 de janeiro. Foi paga apenas a primeira metade e outra metade foi paga em quatro parcelas (de 12,5% cada). Eles afirmam que há pessoas endividadas (com financeiras, bancos e parentes) e que isso aconteceu por causa dos atrasos.

Segundo outro portal de notícias "iG", outro funcionário, que é fonte anônima na emissora, diz que os funcionários contratados como PJ receberam apenas 6% do salário deste mês (fevereiro) e que muitos ainda não tiveram o pagamento de dezembro depositado. Essa fonte afirmou: “Já estamos no Carnaval e ainda não recebemos o Natal”, disse.

Em virtude dos atrasos de salários, alguns departamentos da emissora estão com dificuldades para trabalhar. As produções de programas que dependem de convidados de fora do São Paulo (onde a emissora está localizada) não têm verba para pagar as despesas de passagem e hospedagem. Nesses departamentos têm vagas abertas, mas não conseguem encontrar profissionais no mercado que queiram trabalhar na emissora neste momento, por que estão inseguros em aceitar a proposta de uma empresa em crise.

Outro Lado[editar]

Procurada pelo F5, a RedeTV! confirmou que houve atraso, mas afirma que vai normalizar todos os pagamentos na próxima segunda (13 de fevereiro) e negou que vai parcelar parte dos salários, sob alegação que tudo será quitado.

A RedeTV! vem atrasando o salários das chamados PJs (pessoas jurídicas) desde meados do ano passado. Em dezembro, Rita Lisauskas, âncora havia quase uma década no "RedeTV! News", foi afastada e posteriormente demitida porque se queixou em rede social dos atrasos (então com quase dois meses):

"Queria só entender como tem empresário que consegue colocar a cabeça no travesseiro e dormir, sabendo que há centenas de profissionais sem salário há, no mínimo, dois meses bem na semana do Natal", postou antes de ser punida (ver Histórico).

Histórico[editar]

A TV Manchete chegou ao fim em 18 de maio de 1999, depois que Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho compraram a emissora no dia 9 de maio do mesmo ano. De 18 de maio a 15 de novembro, passou a se chamar de TV!, que passou se chamar de RedeTV!, ocupando o canal da extinta emissora. Assim que assinou a concessão da rede, a dupla assumido como condição a dívida da Manchete. Desde então, os funcionários antigos lutam para receber seus acertos.

A RedeTV! vive na maior crise desde surgimento da sucessora e conturbada Manchete, do Grupo Bloch. A crise surgiu nos primeiros meses de 2011, quando depois fazer altos investimentos em equipamentos moderníssimos do que as principais concorrentes (TVs Globo, Record, SBT, Bandeirantes) nos últimos quatro anos, que o fez ser a única em programação de TV brasileira em 100% HD e que transmite alguns programas em 3D.

No entanto, os altos investimentos em equipamentos moderníssimos que o fez ser a única TV brasileira totalmente em HD não significou lançamento da nova programação (como esportes, filmes, séries ou até novelas) que eleve audiência dos programas, pois nenhuma atração (com exerção do Pânico na TV) nunca ultrapassam 5 pontos.

Nos últimos meses de junho e setembro, o canal chegou a pagar somente 25% dos salários dos profissionais. Porém, pouco depois, o valor foi acertado. Entre julho e agosto, as denúncias de primeiros atrasos de salários foi feita pela imprensa, mas a emissora não comentou.

Em agosto, entrevista à Ilustrada (suplemento do jornal Folha de S. Paulo), o presidente e sócio-majoritário da emissora, Amilcare Dallevo, admitiu que estava "atrasando" alguns pagamentos: "Eu estava tentando comprar a parte do Marcelo. Segurei uns contratos que seriam usados no pagamento. Depois, abortei a negociação. Não foi uma crise. Foi uma estratégia de caixa para comprar a parte do Marcelo.", afirmou Dallevo à ocasião. "Estou com minha consciência em paz.", afirmou ao "F5".

Em setembro, o canal passou a terceirizar ainda mais espaços em sua grade de programação, destinando-os às igrejas evangélicas (como sempre acontece programações de TVs num país de maioria católica!) e televendas. Entre elas que mais repecurtiu, foi a Igreja Mundial do Poder de Deus, que ocupa de segunda aos sábados de meio-dia às 14 horas. No entanto, a terceirização não tem sido suficiente para fechar caixa em outubro e novembro.

Paralelo a isso, foram investidos nos últimos meses novos programas, os donos da emissora, Dallevo e Carvalho, não sentem os efeitos da crise como a maioria dos funcionários. Dallevo e sua esposa Daniela Albuquerque, apresentadora do Manhã Maior, recém inauguraram uma das maiores mansões do Brasil no bairro Alphaville, em São Paulo. Carvalho adquiriu há aproximadamente um ano uma cobertura triplex com elevador privativo em um luxuoso condomínio de São Paulo. Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho, que são casados com as apresentadoras da mesma emissora, Daniela Albuquerque (Manhã Maior) e Luciana Gimenez (Superpop), respectivamente.

Entre outubro e novembro, surgiram pela imprensa as denúncias de atrasos de salários, mas a emissora sempre negava. A maioria das denúncias são anônimas, pois funcionários pediram não serem identificados pela imprensa por temerem represárias da direção da RedeTV!, pois quem ousa reclamar, é motivo de suspensão dos trabalhos, inclusive até demissão.

Em dezembro, os atrasos de salários não são exclusividade dos funcionários, pois até apresentadores de programas famosos, como Pânico na TV e Superpop estão com atrasos de dois meses. No mesmo mês, o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo anunciou que acionará o Ministério do Trabalho contra a emissora após sucessivas denúncias de irregularidades na empresa pela imprensa.

Em 21 de dezembro, a apresentadora do telejornal RedeTV! News, Rita Lisauskas, foi afastada da apresentação um dia após reclamar publicamente dos atrasos (20), através das postagens de mensagens no site de relacionamentos Facebook e do micro-blogging Twitter. Em 6 de janeiro de 2012, ela foi demitida, que por vez anunciou que vai entrar ação contra emissora. O caso repecutiu muito negativamente à emissora, o que demonstra a evidência da crise, que até então negava:

Queria só entender como tem empresário que consegue colocar a cabeça no travesseiro e dormir, sabendo que há centenas de profissionais sem salário há no mínimo 2 meses bem na semana do Natal. E o pior: como tem assessor de imprensa (ou seja, coleguinha) que se digna a desmentir o óbvio com a seguinte pérola: 'É mentira desses funcionários, pois os salários estão em dia.' Aos colegas que pensarem em me enviar mensagem pedindo para que me cale nem percam seu precioso tempo. Sou profissional, tenho dignidade, mas não tenho estômago.

Rita Lisauskas, Facebook.

Em 10 de janeiro, Marcelo Nascimento, que respondia pela direção do programa Superpop, desde 6 de junho do ano passado, foi demitido pelo dono da emissora, Marcelo de Carvalho e no lugar, assumiu Dirlan Jorge, que respondia pela direção-geral do Domingo Legal, do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) até o ano passado, quando foi demitido após auditoria interna realizada no SBT para verificar e confirmou posteriormente desvios de verba em quadros (como o "Construindo um Sonho").

Na quinzena de janeiro, continuam boatos sobre possível saída Luciana Gimenez e toda a equipe do Pânico na TV da emissora, apesar das negações. Umas das emissoras interessadas é a TV Bandeirantes.

Em 18 de janeiro, a emissora voltou a atrasar os salários. No mês passado já havia pago maior parte dos salários do ano passado. Nos dias seguintes, saem da emissora, a repórter Anita Paschkes pela ainda em irnauguração Fox Sports Brasil e a jornalista Carolina Castelo Branco pois aceitou convite do SBT e estréou no domingo (22) no comando de A Grande Ideia (das 8 até 8hs30min).

A emissora anunciou a adquisição os direitos do programa O Encantador de Cães (exibido pelo canal Animal Planet na TV paga), onde a série mostra adestrador mexicano Cesar Millan com os cachorros, usando técnicas de "psicologia canina", que vai interagir com a apresentadora Jacqueline Sato (que apesar do sobrenome, não tem parentesco com a famosa Sabrina Sato) que o formato é semelhante ao que Daniela Albuquerque faz no Dr. Hollywood com o Dr. Robert Rey. A atração estreou no sábado, dia 11 de fevereiro, às 22hs.

Em 24 de janeiro, de acordo com levantamento do Controle da Concorrência, é a emissora campeão de merchandising testemunhal, onde os apresentadores (ou o próprio cliente) vendem o produto durante o programa. De 1º a 15 de janeiro de 2012, foram cem ações promocionais em apenas três programas: "A Tarde é Sua" (Sônia Abrão) com 51 merchans, seguido de "Manhã Maior" e "TV Fama".

Em 25 de janeiro, decisão judicial publicada agravou o já complicada emissora. A 28ª Vara Cível de São Paulo determinou que a emissora os pagamentos, estimado em 100 milhões de reais, do FGTS de funcionários da antiga TV Manchete (antigo nome da RedeTV!), sejam depositados em no máximo dez dias (até 4 de fevereiro) “sob pena de bloqueio de contas bancárias ou diretamente junto aos anunciantes”. No entanto, em nota, emissora afirmou que a decisão judicial já transitada no STJ é capaz de reverter esta e outras decisões recentes que a coloca como sucessora de débitos da Manchete.

No final do mês a emissora ganhou causa na Justiça sobre o Caso das Tchecas do Brazil (com Z), quando duas mulheres (que na verdade não eram tchecas), inglesa e eslovena, enganaram a equipe do Pânico na TV e a própria emissora entre fevereiro a julho do ano passado, quando a farsa foi descoberta que eram garotas da propaganda da cerveja Proibida, com R$ 20 milhões de reais de idenização. A cervejaria pretende recorrer da sentença por considerar quantia muito alta.

Notícias Relacionadas[editar]

Fontes[editar]