Temporada de furacões: em menos de 24 horas, nova tempestade é nomeada com letra do alfabeto grego

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

19 de setembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Beta: a 2ª letra do alfabeto grego foi o nome atribuída pelo NHC-NOAA a uma "área de distúrbio" no Golfo do México que nas últimas horas se intensificou e virou uma tempestade tropical, precisando ser nomeada - este tipo de fenômeno recebe nome sempre que seus ventos sustentados alcançam 60km/h - após se esgotarem todos os nomes da lista tradicional da temporada de furacões no Oceano Atlântico de 2020 e o nome Alpha ter sido usado ontem.

A tempestade, segundo o NHC, deve atingir mais fortemente a costa central do Texas (veja o gráfico aqui), onde seus ventos devem alcançar cerca de 100Km/h, mas o órgão emitiu em seu último aviso (Advisory Number 8) um alerta também para a costa da Lousiana. De acordo com o NHC, Beta deve causar ventos e chuvas, fortes em algumas áreas, numa região que vai de Corpus Christi, no Texas, até Lake Charles, na Lousiana.

Estão ativos hoje na mar da costa dos Estados Unidos, além de Beta, a tempestade tropical Wilfred e o furacão Teddy, que ontem estava classificado como Categoria 4 (C4) - de 5 - com ventos de mais de 200k/h. Teddy, no entanto, deve seguir perdendo força e atingir as Bermudas amanhã como o um tempestade tropical. Ele também deve fazer o mar ficar agitada em boa parte da costa Sudeste dos Estados Unidos e na costa Nordeste do Caribe (veja a previsão aqui).

Alpha

Alpha foi uma tempestade subtropical que atingiu a costa Oeste de Portugal ontem, causando chuva intensa e a forte agitação marítima. Também houve fortes ventos e ao menos a formação de um tornado - formação comum em meio a furacões e ciclones - na cidade de Setúbal.

A volta do Paulette

O furacão Paulette, que atingiu as Bermudas no início desta semana antes de virar para Noroeste e perder força, agora ruma para Sul, tendo em sua rota os Açores. O NHC estima que ele tenha 40% de chances de voltar a se intensificar e se tornar um ciclone ao encontrar água de temperaturas mais elevadas (leia o aviso no HHC aqui para ao área marca em laranja).

Temporada intensa

Este ano, a temporada já teve 23 tempestades e furacões nomeados. "Esta é apenas a segunda vez que o NHC tem que usar nomes do alfabeto grego", escreveu a CNN.

Medicane Ianos

Não no Atlântico Norte, mas no Mar Mediterrâneo, mas especificamente no Mar Jônico, um medicane - MEDIterrâneo + hurriCANE (furacão ou ciclone) - se formou há dois dias e ontem atingiu com força parte das Ilhas Jónicas, enquanto, segundo o último do boletim do Observatório Nacional de Atenas (Meteo.gr), segue para o sul da Grécia, para Creta.

O fenômeno, muito raro, foi nomeado Ianos (Janus).

Você sabia?

Que ciclones, furacões e tufões são o mesmo tipo de fenômeno e seu nome só muda devido à região onde se formam? No Brasil, por exemplo, são chamados de ciclones, enquanto na América do Norte, Central e Caribe, de furacões. Já na Ásia Oriental, na região do Mar das Filipinas, recebem o nome de tufões.

Que antes de se formarem, furacões costumam iniciar como "área de turbulência", seguindo para depressão e depois para uma tempestade tropical? E que depois de atingirem o pico de sua atividade, fazem o caminho inverso? Paulette, por exemplo, hoje é um ciclone pós-tropical, o que equivale dizer que é uma tempestade tropical.

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com