Temporada de furacões: depois de semanas, Atlântico Norte não tem fenômenos importantes pela primeira vez

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

23 de setembro de 2020

Teddy hoje, como um ciclone pós-tropical

Em meio a uma temporada intensa, este é o primeiro dia, em semanas, em que o Atlântico Norte não apresenta fenômenos importantes. Segundo o NHC-NOAA, hoje só há no mar, a Leste da América do Norte, o que sobrou da tempestade tropical Beta e do furacão Teddy (veja o mapa aqui).

A última pausa havia sido após a passagem do furacão Nana, entre os dias 01 e 04 de setembro, até a formação do furacão Paulette, no dia 07 de setembro.

Fenômenos ativos

Para Beta, o último aviso do NHC alerta apenas para chuvas intensas que podem causar inundações no sudeste do Texas, sul da Louisiana e partes do oeste do Mississippi. Já para Teddy, agora um ciclone pós-tropical que está se extinguindo, o alerta é para ventos e ondas fortes de Port aux Basques a François, Newfoundland, Canadá.

Temporada intensa

A temporada de furacões no Atlântico Norte deste ano foi uma das mais intensas de todos os tempos, sendo que foi apenas a segunda vez na história que o NHC teve que usar nomes do alfabeto greto para nomear as tempestades. Alfa e Beta foram nomeadas nos últimos dias, a partir de 17 de setembro.

24 fenômenos já foram nomeados este ano, a partir de 16 de maio - os fenômenos recebem nome sempre que seus ventos sustentados alcançam 60km/h

Referência

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com