Stan Lee morre aos 95 anos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portal Obituário
Outras notícias sobre obituário
Stan Lee começou Marvel Comics em 1961 junto com Jack Kirby e foi criador de personagens icônicos do mundo dos comic, como Iron Man, Hulk, Spider-Man e Quarteto Fantástico (The Fantastic Four).
Foto: Gage Skidmore/Wikimedia Commons.

12 de novembro de 2018

O escritor e editor de comics estadounidense Stan Lee faleceu esta segunda-feira (12 de novembro) aos 95 anos de idade, no Cedars-Sinai Medical Center de Los Angeles, Califórnia, segundo reportagem da mídia TMZ. "Meu pai amava todos os seus fãs. Era o homem maior e mais decente", disse sua filha Joan Celia Lee, que confirmou a notícia à página.

Nascido como Stanley Martin Lieber em Nova Iorque aos 28 de dezembro de 1922, filho de imigrantes romenos, aficionado ao cinema e uma vocação precoce de escritor. Aos 17 anos, conseguiu emprego como ajudante na Timely Comics, editorial especializada em comics (quadrinhos ou banda desenhada), sob as ordens de Joe Simon. Em 1941, debutou como relato breve de um dos personagens da Timely, o Capitão América, inspirado, de acordo com Smash Mexico, em escritores como Robert Louis Stevenson, Arthur Conan Doyle e Edgar Rice Burroughs.

Durante a Segunda Guerra Mundial, participou nos serviços de propaganda do exército e, posteriormente, ante o crescimento da popularidade dos super-heróis da DC, Martin Goodman encorajou-o a criar seu grupo de personagens. Em 1961, a sua ideia, de criar figuras mais verossímeis e menos intacáveis, materializou com Quarteto Fantástico (The Fantastic Four). Junto com Jack Kirby e Steve Ditko, ele criou os personagens clássicos da editorial Marvel Comics, o novo nome de Timely Comics: Spider-Man (Homem Aranha), Hulk, Iron Man (Homem de Ferro), Thor, Doctor Strange (Doutor Estranho), Vingadores (Avengers), X-Men, Black Panther (Pantera Negra), Silver Surfer (Surfista Prateado), entre outros.

Segundo Cinemanía, Lee aproveitou de seu talento como um líder de opinião e artista para tornar a editorial em uns "alternativa hip e vanguardista à algo encarquilhado dos 60", além de tornar-se seu rosto e porta-voz. Esta situação ganhou popularidade, mas também lhe antagonizou com os personagens com o próprio Kirby, com quem nunca chegou a reconciliar por completo. Em 1995, ele foi ingressado no Salão da Fama Will Eisner por sua carreira e ganhou inúmeros prêmios como Saturno, Hugo, Scream Awards e sua própria estrela na Hollywood Walk of Fame (Calçada da Fama) em Hollywood.

No cinema, ele participou com cameos (participações especiais) nos filmes baseados nos personagens da Marvel, que somaram quarenta aparições filmadas mais aparições em programas televisivos. Suas últimas aparições foram nas produções Ant-Man and The Wasp (Homem-Formiga e a Vespa) e Venom. Por vários anos, sofreu vários problemas de saúde e em 2017, faleceu sua esposa Joan Boocock Lee, com quem esteve casado quase setenta anos. Em fevereiro, TMZ postou um vídeo em que Lee alegou não ter "poder se manter muito o contato, porque padeço uma pneumonia que estou tratando, porém parece que vai a melhor". "Quero que saibam todos que eu estou pensando em vocês, é claro que sempre penso nos fãs e espero que todos estejam bem e os sinto falta deles", acrescentou.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati