Reuters dispensa fotógrafo libanês

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de agosto de 2006

A agência de notícias Reuters informou em seu website que não mais publicará as fotografias do fotógrafo libanês free-lancer Adnan Hajj. O fotógrafo foi acusado de ter usado o software Photoshop para manipular algumas de suas fotografias. A Reuters retirou no último domingo (6) de seu website uma das fotografias do fotógrafo e substituiu-a por outra que não foi alterada.

A fotografia que levantou esta polêmica é uma cena em que aparece fumaça, depois de um ataque aéreo isralense em Beirute. Acredita-se que a imagem tenha sido manipulada com o programa Photoshop para mostrar mais fumaça do que realmente estaria sendo mostrada na fotografia original. A polêmica foi levantada principalmente na blogosfera, entre pessoas que apóiam a ofensiva israelense contra o Hizbollah, e por fotógrafos profissionais em sua comunidade na internet.

No domingo (6), a Reuters avisou a todos os editores para trocar a fotografia por uma outra que não foi retocada. O comunicado também foi colocado na internet: "Atenção Editores: Este é o arquivo correto de LBN20". [1].

Em Londres, a chefe de relações públicas da Reuters, Moira Whittle declarou: "O fotógrafo nega que deliberadamente manipulou a imagem e disse que estava tentando remover as marcas de poeira, e que errou por causa das más condições de iluminação do local em que estava trabalhando".

E acrescentou: "Isto representa uma falta grave nos padrões de qualidade da Reuters e nós não podemos aceitar ou usar mais fotografias dele".

Segundo a Reuters, Hajj trabalhou para a agência de notícias como free-lancer de 1993 a 2003. Ele tinha voltado a trabalhar para a Reuters novamente em abril de 2005.

O fotógrafo libanês Adnan Hajj é um dos autores das polêmicas fotos tiradas depois do ataque israelense em Qana. Alguns weblogs denunciaram o que seriam inconsistências nas fotografias e disseram que as fotos foram tiradas sob supervisão de militantes do Hizbollah. As mesmas duas pessoas, cujas identidades não foram reveladas e que seriam trabalhadores da equipe de resgate, aparecem em todas essas fotografias em situações bastante semelhantes, apesar de as fotografias terem sido tiradas por fotógrafos diferentes, supostamente em instantes diferentes.

As agências de notícias: Agence France Press (AFP), Reuters e Associated Press (AP) negaram na semana passada que as fotografias do resgate das vítimas do ataque israelense a Qana foram encenações.

A cobertura da guerra no Oriente Médio tem sido alvo de críticas por pessoas que alegam que existe uma suposta parcialidade na cobertura do conflito.

Capacete verde faz nova aparição

O misterioso homem de "capacete verde" que nenhuma das agências de notícias disse quem é, mesmo depois de toda a polêmica sobre as fotografias, fez mais uma aparição.

Ele apareceu numa fotografia de domingo (6) da autoria de Ben Curtis para a Associated Press. A foto está disponível no arquivo de fotos do Yahoo!.

Ver também

Fontes