Rei da Tailândia sugere acordo com manifestantes

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

2 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O rei da Tailândia disse que seu país é “a terra do compromisso” durante uma rara entrevista pública sobre os protestos que exigem maiores reformas políticas e sociais, incluindo na própria monarquia.

O rei Maha Vajiralongkorn fez os comentários no domingo ao Channel 4 News, do Reino Unido, enquanto ele e a rainha Suthida caminhavam entre dezenas de apoiadores da família real após presidir uma cerimônia religiosa em Bangkok. O comentário foi em resposta a uma pergunta se o rei se comprometeria com as demandas dos manifestantes para reduzir a influência da monarquia.

Quando questionado sobre o que diria aos manifestantes, o rei Vajiralongkorn disse: “amamos todos eles do mesmo jeito”, repetindo a frase duas vezes.

Bangkok tem sido palco, há semanas, espaço de protestos massivos que inicialmente começaram com demandas pela renúncia do primeiro-ministro Prayuth Chan-Ocha, um ex-general do exército que tomou o poder num golpe de 2014 que derrubou o governo civil eleito. Ele ganhou a eleição para o cargo no ano passado, mas os manifestantes dizem que a votação foi fraudada a seu favor devido a leis elaboradas pelos militares.

As manifestações evoluíram e passaram a incluir demandas por reformas na monarquia constitucional, que mantém o status divino entre a elite tailandesa e tem forte apoio dos militares [após um acordo feito com o ex-rei Bhumibol Adulyadej]. Os manifestantes chegaram mesmo a criticar abertamente a monarquia, indo contra as estritas leis de “lesa majestade” que impõem penas de prisão para qualquer pessoa condenada por insultar o rei e sua família.

Os manifestantes marcharam até a embaixada da Alemanha na semana passada para exigir que o governo alemão investigue se o rei Vajiralongkorn conduziu negócios de Estados durante suas estadas prolongadas no país europeu e seus registros fiscais.

O rei consolidou seu próprio poder ao assumir o controle pessoal de algumas unidades do exército, bem como o controle de bilhões de dólares pertencentes à Casa Real tailandesa.

Notícias Relacionadas

Fonte


Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com