Rússia e Cuba enviam ajuda à Itália

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

23 de março de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Na noite de 22 de março, no aeroporto Pratica di Mare da Força Aérea Italiana, a 30 km de Roma, a primeira aeronave Ilyushin Il-76 do Ministério da Defesa da Rússia pousou com ferramentas, destinada a ajudar a Itália na sua luta contra a pandemia de COVID-19. Foi seguido por outras seis aeronaves com intervalo de uma hora. Essa assistência foi prometida pelo presidente russo Vladimir Putin ao primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte durante sua conversa por telefone no início do dia.

No mesmo dia, uma equipe de 52 médicos voou de Havana, na Cuba, para a Itália. Esta já é a sexta brigada médica cubana, enviada recentemente ao exterior. Anteriormente, especialistas cubanos já vieram para a Venezuela, Nicarágua, Jamaica, Suriname e Granada. A China já havia enviado especialistas, dispositivos, máscaras e medicamentos para a Itália. Na Itália, mais de 35 mil pessoas já foram infectadas e mais de 4.800 morreram.

Enquanto isso, o renomado farmacologista italiano Giuseppe Remuzzi, diretor do Instituto de Estudos Farmacológicos Mario Negri, em entrevista à estação de rádio NPR, disse que casos de pneumonia muito semelhantes ao COVID-19 podem já ter ocorrido na Itália no início de novembro e dezembro de 2019. "Eles se lembram de ter visto casos muito raros e muito graves de pneumonia, especialmente em idosos. Isso significa que o vírus estava circulando pelo menos na Lombardia antes de tomar conhecimento do surto na China", afirma ele.

Notícia relacionada

Fontes