Ex-Presidente do Afeganistão, Burhanuddin Rabbani, morre em atentado suicida

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portal Obituário
Outras notícias sobre obituário

20 de setembro de 2011

Cabul, Afeganistão

O ex-presidente do Afeganistão, Burhanuddin Rabbani, foi morto hoje a noite (horário do Afeganistão) após ataque suicida contra a própria residência em Cabul, capital do país. Rabbani era chefe do Conselho de Paz do país, estabelecido pelo governo afegão, para trabalhar numa solução política e negociar com a guerrilha Taliban (ou Talibã ou Taleban).

Burhanuddin Rabbani (ou Buhanudin Rabani) foi o presidente do Afeganistão de 28 de Junho de 1992 até 27 de Setembro de 1996, quando foi obrigado a fugir juntamente com membros do governo de Cabul para o nordeste do país, quando a guerrilha Taliban formada por pashtuns, que surgiu no final de 1994, entrou na cidade no mesmo dia. Depois da fuga, ele se tornou o chefe nominal da Aliança do Norte, liderada pelo Ahmed Shah Massud, formada por tajiques, usbeques, hazaras e outras etnias minoritárias no país. Apesar de perder o poder, era considerado presidente da nação pela ONU, pois não reconheceu o novo governo na época, inclusive era apoiado pela Rússia, Índia e Irã. Massud foi morto no dia 9 de Setembro de 2001, em atentado atribuído à Al-Caeda de Osama Bin Laden, dois dias antes dos Atentados de 11 de Setembro nos Estados Unidos.

Depois que o líder do Taliban, Mohamed Omar se recusou a entregar o terrorista Bin Laden (que é sogro, por ter umas das filhas dele casada com o terrorista) os Estados Unidos iniciaram os bombardeios aéreos contra Afeganistão em 7 de Outubro do mesmo ano, ajudando os rebeldes da Aliança do Norte e pashtuns contrários ao Taliban derrotarem e tomar o poder, durante os meses de novembro até a rendição Taliban em 7 de Dezembro.

Bin Laden morreu durante a operação em que soldados da elite SEAL mataram no Paquistão em 1º de Maio de 2011. Já Omar, permanece foragido e continua comandar a guerrilha.

O atentado contra ex-presidente ocorreu dias depois do ataque realizado por seis militantes fortemente armados, que invadiram um prédio em construção nas proximidades da embaixada dos Estados Unidos. Os homens resistiram durante 20 horas às investidas das forças estrangeiras e afegãs, até serem mortos.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati