Covid-19: Países Baixos voltam a impor medidas restritivas para conter novos casos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

2 de novembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O governo dos Países Baixos anunciou hoje medidas extras para desacelerar a rápida disseminação do vírus Sars-Cov-2, uma vez que nas últimas semanas o número de casos de covid-19 aumentou rapidamente. Segundo o anúncio, o Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente (RIVM) estima um pico de 500 pacientes com covid-19 em UTIs no inverno vindouro.

As regras haviam sido flexibilizadas no dia 25 de setembro passado, mas de meados de outubro para cá os casos voltaram a subir consideravelmente, tanto que a média móvel de novos casos por dia (média relativa a 7 dias) ontem chegou a 7.413, enquanto no dia 01 de outubro era de 1.636 e no dia 1 de setembro, de 2.494 - de acordo com dados do Worldometer (veja aqui).

As mortes também voltaram a aumentar, com um pico de 23 no dia 23 passado - porém muito longe do pico de 173 em 6 de janeiro passado e de 234 em 7 de abril de 2020 (veja aqui).

O país soma hoje 2.139.746 casos acumulados de covid-19 e 18.423 óbitos pela doença.

O que muda
  • as regras básicas, como manter o distanciamento social de 1,5m, higienizar as mãos constantemente e fazer o teste em casos de sintomas, serão reforçadas;
  • a partir de 3 de novembro de 2021, todos os que puderem trabalhar em casa serão aconselhados a fazê-lo;
  • a partir de 6 de novembro de 2021, o uso de máscaras faciais volta a ser obrigatório em locais públicos, como em supermercados, no transporte coletivo, parques de diversão, entre outros;
  • a partir de 6 de novembro, o "passe de entrada" (atestado de recuperação da doença, cartão de vacinação ou teste negativo para covid) será exigido em diversos locais, tanto fechados como não, como restaurantes, cinemas, estádios esportivos, feiras, entre outros.
Vacinação de reforço

A partir de dezembro, todos as pessoas com 80 anos ou mais e os adultos residentes em instituições de acolhimento com idade igual ou superior a 18 anos receberão uma dose de reforço. Já em janeiro chegará a vez dos holandeses com 60 anos ou mais.

Os profissionais da saúde que trabalham com pacientes de covid-19 também receberão uma dose extra a partir do próximo mês.

Segundo o Our World In Data, até o dia 24 de outubro passado o país havia vacinado 76% de sua população com ao menos uma dose de uma vacina contra covid-19 e 69% dos holandeses estavam completamente imunizados (veja aqui).

Notícias Relacionadas

Fontes


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit