Trump desenvolverá programa para combater a "agitação da esquerda"

1 de setembro de 2020

link=mailto:?subject=Trump%20desenvolverá%20programa%20para%20combater%20a%20"agitação%20da%20esquerda"%20–%20Wikinotícias&body=Trump%20desenvolverá%20programa%20para%20combater%20a%20"agitação%20da%20esquerda":%0Ahttps://pt.wikinews.org/wiki/Trump_desenvolver%C3%A1_programa_para_combater_a_%22agita%C3%A7%C3%A3o_da_esquerda%22%0A%0ADe%20Wikinotícias Facebook link=https://twitter.com/intent/tweet?text=Trump+desenvolverá+programa+para+combater+a+"agitação+da+esquerda"&url=https://pt.wikinews.org?curid=64596 WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
link=mailto:?subject=Trump%20desenvolverá%20programa%20para%20combater%20a%20"agitação%20da%20esquerda"%20–%20Wikinotícias&body=Trump%20desenvolverá%20programa%20para%20combater%20a%20"agitação%20da%20esquerda":%0Ahttps://pt.wikinews.org/wiki/Trump_desenvolver%C3%A1_programa_para_combater_a_%22agita%C3%A7%C3%A3o_da_esquerda%22%0A%0ADe%20Wikinotícias Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que o Departamento de Justiça e Segurança Interna desenvolverá um programa conjunto para combater a "agitação da esquerda".

Trump se reuniu com o procurador-geral William Barr e o secretário de Segurança Interna, Chad Wolfe, antes de uma entrevista coletiva na noite de segunda-feira na qual criticou Joe Biden, seu oponente eleitoral, de "encorajar a violência em algumas cidades" onde ocorreram protestos contra o racismo.

Trump disse que o ex-vice-presidente Biden forneceu "apoio moral aos vândalos". Ele anunciou que as agências de Barr e Wolfe "anunciarão o estabelecimento de um centro de operações conjuntas para investigar violentos distúrbios civis de esquerda".

Na tarde de segunda-feira, Biden negou veementemente as acusações do presidente e de seus aliados de que ele é socialista e tem uma atitude branda com o crime.

“O presidente em exercício há muito perdeu completamente sua liderança moral neste país”, disse ele, falando em Pittsburgh. “Ele não pode parar a violência porque a provoca há anos. Condeno qualquer violência de qualquer pessoa, seja esquerda ou direita. E exorto Donald Trump a fazer o mesmo”.

Trump planeja visitar Kenosha na terça-feira. Os protestos eclodiram na cidade na semana passada depois que a polícia atirou várias vezes nas costas de Jacob Blake, um homem negro de 29 anos.

O governador de Wisconsin, Tony Evers, no domingo enviou uma carta a Trump pedindo-lhe que reconsiderasse sua decisão, expressando preocupação de que a visita do presidente pudesse agravar as tensões. O porta-voz da Casa Branca, Judd Deere, disse que Trump não desistiria da viagem.

Fontes