Rússia solicita à OTAN que esclareça as mortes de civis por bombardeios no conflito da Líbia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de dezembro de 2011

Nova Iorque, Estados UnidosVitaly Churkin, representante da Rússia na Organização das Nações Unidas (ONU) disse na segunda-feira (19) que se leve uma rigorosa investigação sobre a morte indiscriminada de civis efeituados na campanha intervenção da OTAN (ou NATO) na Líbia, denunciando ademais a parcialização de relatórios da organização militar atlântica:

Infelizmente, [a OTAN ou NATO] adotou o estilo de pura propaganda, alegando zero vítimas civis na Líbia, o que é completamente inverosímil em primeiro lugar e em segundo lugar não é verdade.

Enquanto Churkin planejará nesta quinta-feira a questão da Líbia no Conselho de Segurança, o porta-voz da OTAN ou NATO em Bruxelas (capital da Bélgica), Oana Lungescu, novamente defendeu a ação alegando novamente que o papel da entidade foi "falicitada para os rebeldes na queda" do regime da Líbia, também afirma que estão dispostos a "colaborar de forma estreita".

O representante russo também não deixou isento ao Ban Ki-moon (Secretário Geral da ONU) das críticas, nas quais expressa que a "protecção a civis" por meio do bloqueio aéreo estabelecido na Resolução de 17 de Março passado, se converteu em uma fachada humanitária para fazer derrocar ao outrora regime líbio.

Espero que a ONU seja mais cautelosa en suas opiniões sobre assuntos de importância que são à competência do Conselho.

Os representantes ocidentais (Estados Unidos, Reino Unido e França) do Conselho de Segurança se absteveram de responder aos formulamentos do seu similar euro-ásiático.

Notícias Relacionadas[editar]

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati