Polícia Federal prende "padre" Medina das FARC em São Paulo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

25 de agosto de 2005

Brasil

A Polícia Federal prendeu no final da tarde desta quarta-feira (24) o ex-padre Francisco Antonio Cadenas Collazzos, conhecido também como "Olivério Medina", ou "Padre Medina". Medina é representante das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

Sua prisão foi a pedido do Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. Ele atendeu uma solicitação do governo da Colômbia que acusa Medina de homicídio e terrorismo, além de suas ligações com as FARC.

Olivério Medina está detido na Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo.

Medina foi pivô de uma crise que surgiu por causa de uma matéria publicada na edição 1896, de 16 de março de 2005, da revista brasileira Veja. A matéria mencionava uma suspeita não comprovada de doação de 5 milhões de dólares das FARC para o Partido dos Trabalhadores (PT).

O anúncio da suposta doação, segundo a revista, teria ocorrido durante um churrasco realizado em 13 de abril de 2002, em Brasília, e feito por Olivério Medina. A revista alegou que baseou-se em documentos da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e no testemunho de um ex-agente e seu superior.

As suspeitas foram negadas pelos superiores da Abin e o caso foi encerrado.

Ver também

Fontes

As categorias deste artigo foram atualizadas em 24 de agosto de 2006. Para maiores informações veja o histórico.