Nos EUA guerrilheira das FARC é condenada por tráfico de drogas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

26 de fevereiro de 2007

A guerrilheira das FARC chamada Omaira Rojas, ou Nayibe Rojas Cabrera, ou Nayibe Rojas Valderrama, ou Sonia (como é mais conhecida) e outras duas pessoas foram condenadas por tráfico de drogas em Washington, nos Estados Unidos da América. O anúncio foi feito no último dia 20 de fevereiro pelo Promotor Paul J. McNulty.

Sonia é a mais importante autoridade das FARC a ser condenada nos EUA. Sonia foi extraditada para os EUA no início de março de 2005 pelo governo colombiano que atendeu uma solicitação das autoridades norte-americanas. Segundo informações divulgadas pelas autoridades, ela era responsável pelas finanças da Frente 14 das FARC.

O júri deliberou durante quatro dias antes de considerar os réus culpados. Além de Sonia foram condenados por tráfico de drogas: Juan Diego Giraldo (vulgo: o "Flaco") e José Antonio Celis (o "Calvo"). As penas para os réus está marcada para ser dada no próximo dia 7 de maio, às 9:30 da manhã. Eles podem pegar no mínimo 10 anos de prisão.

As evidências usadas pela promotoria foram os testemunhos dos agentes da DEA, das autoridades colombianas, testemunhas, e fitas de vídeo e de áudio das conversas dos suspeitos. De acordo com as provas, Sonia teria sido responsável pela produção e venda da cocaína para a Frente 14 das FARC. O senhor José Antonio Celis seria o traficante que teria coordenado o transporte da cocaína da Colômbia até o Panamá e daí para os EUA, conforme teria combinado com Sonia. Juan Diego Giraldo teria ajudado Celis no translado da droga, além de tê-lo apresentado ao comando da Frente 14 das FARC.

Segundo as autoridades, o tráfico de drogas é usado pelas FARC como forma de comprar mais armas e munição para suas operações na Colômbia. Além do tráfico, as autoridades apontam o seqüestro e a extorsão como outras fontes de renda para os guerrilheiros sul-americanos.

Estimativas do DEA dizem que as FARC controlam cerca de 70% do tráfico de drogas colombiano. As autoridades americanas alegam que de 80 a 90% da cocaína que entra nos EUA vêm da Colômbia e que as FARC produzem e distribuem mensalmente milhares de quilogramas da droga para outros países e os EUA.

Além do tráfico de drogas, os integrantes das FARC são acusados nos EUA de seqüestro e assassinato de cidadãos americanos.

Ver também

Fontes