FBI abre centenas de investigações de terrorismo após protestos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

5 de agosto de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Desde o final de maio, o FBI lançou mais de 300 investigações de terrorismo doméstico e prendeu cerca de 100 pessoas em Portland, Oregon, centro de protestos pela morte de George Floyd.

A advogada Erin Neely Cox disse aos congresistas que as primeiras investigações começaram em 28 de maio, três dias depois que o afro-americano Floyd foi morto por um policial em Minneapolis, Minnesota. Sua morte levou a protestos em todo o país.

"Isso não inclui investigações em potencial sobre violações de direitos civis ou crimes violentos relacionados a distúrbios civis", disse Cox em uma audiência no Comitê Judiciário do Senado sobre os protestos às vezes violentos.

O procurador-geral William Barr anunciou a criação de um grupo de trabalho do Departamento de Justiça no final de junho, afirmando que "extremistas antigovernamentais cometeram atos imperdoáveis ​​de violência para perturbar a ordem pública".

O grupo de trabalho tem a tarefa de coletar "informações detalhadas sobre indivíduos, redes e movimentos que se envolvem em atividades extremistas violentas contra o governo". É composto por promotores e agentes do FBI e também é co-dirigido pelo procurador do distrito de Nova Jersey, Craig Carpenito.

"Vamos monitorar qualquer grupo que seja violento e antigovernamental por natureza", disse Cox na audiência. "Se eles são supremacistas brancos envolvidos em banditismo e drogas, isso não é da competência do nosso grupo de trabalho".

O senador republicano Ted Cruz disse que os protestos contra a brutalidade policial e o racismo foram interceptados por "manifestantes e saqueadores, bem como por aqueles que exploram cinicamente os protestos para seus próprios propósitos malignos".

“Protestos pacíficos devem ser protegidos. Os tumultos devem parar”, disse Cruz, acusando os democratas de não quererem condenar a violência.

A senadora democrata Maisie Hirono disse que "ninguém perdoa a violência" e acusou as autoridades federais de desencadear a violência contra manifestantes pacíficos.

"Em Portland, agentes federais usaram força excessiva e parcial para dispersar as pessoas reunidas para um protesto pacífico", disse Hirono.

Desde que os protestos começaram em maio, em Portland, 140 policiais foram feridos.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit