Equipe de cientistas chineses seqüenciaram o genoma de um descendente de Genghis Khan

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gengis Kan (1162-1227)

18 de dezembro de 2011

Pequim, China — Uma equipe de cientistas chineses anunciou no domingo o fim da sequência completa do genoma do outrora líder mongol, Genghis Khan, através de descendentes vivos.

Segundo Zhou Hanmin, chefe do laboratório da Universidade Agrícola em Hohhot (na região da Mongólia Interior), o projeto trata de obter a sequência completa de uma pessoa concreta. Para o efeito, validou-se de um membro da tribo Sunit (da Liga Xilin Gol, na fronteira com a Mongólia) identificado como descendente da geração nº 34.

Instalações da Universidade da Agricultura de Mongólia Interior.
Foto: Wikimedia Commons.

Ademais, Zhou sinalizou que decifrará as 199 pessoas mais a fim de desenvolver uma base de dados composta pelos códigos genéticos dos mongóis, grupo étnico com forte número na Mongólia e Mongólia Interior e presente no sul da Rússia e da região chinesa de Xinjiang, que atualmente são mais de 10 milhões. Com esta base será determinada características evolutivas e médicas.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati