Cuba e Venezuela são os países com a internet mais censurada na região

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

14 de outubro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Alguns governos de países ao redor do mundo usaram a pandemia do coronavírus como uma desculpa para expandir a vigilância online de sua população, coletar dados e limitar a liberdade de expressão. A China é a nação do mundo que tem mais limitou a liberdade na rede globalmente e Venezuela e Cuba no continente americano.

É o que indica o relatório anual da organização Freedom House publicado nesta quarta-feira, afirmando que a liberdade na web se agravou mundialmente pelo décimo ano consecutivo e, no último ano, o rápido desenvolvimento da Inteligência Artificial, juntamente com a vigilância biométrica usados pelos governos para enfrentar a pandemia criaram “novos riscos para os direitos humanos”, explica o texto.

O texto argumenta que as autoridades em dezenas de países citaram o COVID-19 "para justificar a expansão dos poderes de vigilância e a implantação de novas tecnologias que antes eram consideradas muito intrusivas".

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com