Covid-19: Brasil registra novo recorde semanal de mortes; total de óbitos já passa de 350 mil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

10 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
Painel Covid-19 Conass Óbitos 10 abr 2021.png

O Brasil registrou hoje um novo recorde como "pior semana epidemiológica" em número de óbitos desde o início da pandemia de covid-19. Foram 21.141 mortes de domingo passado até hoje, segundo o Conass, Conselho Nacional de Secretários de Saúde.

Colaboram para este dado as mortes registradas nas últimas 24 horas, que foram de 2.616, fazendo o número total de óbitos passar de 350 mil pela primeira vez, chegando precisamente a 351.334.

Nas últimas 24 horas também foram reportadas pelas Secretarias Estaduais da Saúde 71.832 novas infecções por Sars-Cov-2, levando o acumulado a 13.445.006.

A média móvel também voltou a subir e após 7 dias consecutivos abaixo de 3 mil, ela hoje chegou a 3.020.

Os números

Na análise das mortes de 50 em 50 mil, é possível ver o quanto a pandemia acelerou no país nas últimas 12 semanas. Se o país levou 47 dias para ir de 200 a 250 mil mortes, levou apenas 27 para ir de 250 a 300 mil e apenas 17 para ir de 300 a 350 mil.

  • 08/08/20: 100.000 mortes confirmadas
  • 10/10/20: 150.000 mortes confirmadas
  • 07/01/21: 200.000 mortes confirmadas
  • 25/02/21: 250.000 mortes confirmadas
  • 24/03/21: 300.000 mortes confirmadas
  • 10/04/21: 350.000 mortes confirmadas

Inferno furioso

Nas palavras do epidemiologista da Organização Mundial da Saúde (OMS) Bruce Aylward, o colapso sanitário e hospitalar provocado pelo surto de covid no Brasil é um “inferno furioso”. A entidade voltou a cobrar do país ontem, 09 de abril, medidas sérias para conter a disseminação do vírus. “A situação é muito, muito preocupante”, disse Aylward.

Semana epidemiológica

Por convenção, a semana epidemiológica é um período de sete dias que vai de um domingo até o sábado seguinte.

Notícia Relacionada

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit