Cientista político Vitaly Shklyarov pode pegar até três anos de prisão

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

8 de agosto de 2020

O conhecido analista e estrategista que aconselhou os candidatos à presidência dos Estados Unidos e da Rússia foi encarregado de ajudar na organização de motins na Bielorrússia. Vitaly Shklyarov pode pegar até três anos de prisão, disse seu advogado à AFP.

De acordo com a Radio Liberty, em 2017, Shklyarov trabalhou na sede da campanha de Ksenia Sobchak, antes disso na equipe do candidato presidencial americano, o senador Bernie Sanders. Ele foi detido na Bielorrússia no final de julho e preso por dois meses.

O advogado de Shklyarov disse que seu cliente foi acusado de organizar ações que violam a ordem pública na véspera das eleições presidenciais da Bielorrússia.

Shklyarov nega sua culpa, alegando que está sendo punido por comentar sobre a política bielorrussa antes das eleições.

Shklyarov nasceu na Bielorrússia, mas mora em Washington e é casado com uma cidadã americana. Na véspera das eleições, acusou a Rússia de interferência. Na quinta-feira, o presidente bielorrusso acrescentou que, além dos mercenários russos, “outras pessoas que também queriam incitar motins” foram detidas.

“Algumas pessoas” que foram detidas têm “passaportes americanos (e) são casadas com mulheres americanas que trabalham para o Departamento de Estado”, disse Lukashenko, referindo-se claramente a Shklyarov.

Neste verão, ele veio para a Bielorrússia para visitar seus pais idosos e trouxe seu filho pequeno com ele. Gashinsky disse que o analista está chocado com a prisão, está "de mau humor" e dorme mal. Ele também foi forçado a raspar a barba, acrescentou o advogado.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com