Beira levará anos para ser reconstruída, diz vereador

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

19 de março de 2019

As autoridades do Município da Beira, um dos mais devastados pela passagem do ciclone Idai por Moçambique, reconhecem viver uma “autêntica catástrofe” e avisam que a cidade vai levar anos para se recuperar.

Em conversa com a VOA, José Manuel Moisés, vereador institucional no Conselho Autárquico da Beira, afirma não ser possível quantificar os custos, mas não tem dúvidas de que “serão muito avultados e, sozinho, o município não vai conseguir fazer nada”.

Beira é uma das cidades moçambicanas que está abaixo do nível das águas do mar e o grande desafio sempre foi proteger a costa, por causa do grave problema da erosão.

As autoridades municipais dizem ter feito de tudo para garantir que essa protecção seja feita, mas sem grande sucesso, devido à falta de dinheiro.

No ano passado, o edil da Beira, Daviz Simango, em entrevista à VOA, confirmara que, para realizar um trabalho definitivo de protecção costeira, o Município local precisaria de pelo menos 600 milhões de dólares americanos.

Esses valores podem agora estar desactualizados, pois, com os estragos que o Idai fez, provavelmente será necessário muito mais.

Um dos grandes desafios será conseguir dinheiro para garantir a protecção costeira, pois parte dessa barreira foi duramente atingida pelo ciclone.

Caso tal não acontecer, o vereador José Manuel Moisés alerta que se surgir um novo Idai, Beira “poderá ser varrida do mapa geográfico do país”.

Os prejuízos ainda estão a ser contabilizados pelo Conselho Municipal.

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati