Autoridades investigam sobre a morte das 10.000 rãs no Peru

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

18 de outubro de 2016

O Serviço Nacional Florestal e da Fauna Silvestre (Servicio Nacional Forestal y de Fauna Silvestre, SEFOR) investiga a morte das 10.000 rãs em um rio localizado ao sul do país e que desemboca no lago Titicaca.

Um grupo de activistas atribuiu de imediato o evento à contaminação que tem afectado por muitos anos ao rio Coata e vem a acusar ao Governo de não ter interesse no problema, já que ignorou-as das anteriores peticiones para proporcionar uma área de saneamento adequada. Durante os protestos, os activistas levaram cerca de 100 rãs mortas à praça principal de Puno. Maruja Inquilla, líder dos manifestantes, deu à agência de noticias AFP que "Tem havido que trazer-lhes as rãs mortas. As autoridades no compreendem como estamos a viver [...] Não tem ideia da gravidade da contaminação".

SEFOR havia dito que, segundo as testemunhas e as mostras colectadas, acredita-se que foram afectadas cerca de 10.000 rãs em uma área de 50 quilômetros. O animal é da espécie Telmatobius culeus, também chamada "rã gigante do Lago Titicaca", e é um animal com a alta extinção. A pele desses anfíbios têm muchas crestas, que lhes permitem absolver una grande quantidade de oxigénio da água, além de também muitas substâncias tóxicas. O número de especies já diminuiu consideravelmente devido às especies invasoras e à caça humana.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati