Alemão ataca com gritos islamistas e deixa 1 morto e 3 feridos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

10 de maio de 2016

Um cidadão alemão, realizou um ataque à faca contra vários passageiros da estação de trem, com os gritos "Allah-uh Akbar" (Deus é Grande, em árabe), característico de alguns ataques terroristas islamistas radicais.

Segundo testemunhas, o agressor além de gritar “Deus é Grande” em árabe, gritou: “Infiel, você tem que morrer agora” na hora do ataque. Ao ser contido pela polícia no trem, o agressor não resistiu à prisão.

O resultado do ataque, perpetrado na cidade de Grafing, a 35 quilômetros de Munique, no sul da Alemanha é um morto (um homem de 50 anos que morreu no hospital) e três feridos (de 43, 55 e 58 anos), sendo que uma delas está em estado crítico.

A polícia alemã afirmou que o perpetrador era um homem de 27 anos, originário do estado alemão Hesse, cogitou a ligação do criminoso com grupos extremistas religiosos, mas já descartou a hipótese.

Segundo as autoridades, até agora não há sinais de radicalização nem evidências de que o agressor tenha ligação com terroristas, não tem histórico de migração e se converteu ao Islã.

A principal suspeita é de que o homem sofra de transtornos psicológicos e tenha problemas com drogas. Segundo a imprensa alemã, o agressor já tinha passagem por clínicas psiquiátricas e, no domingo (8), estava em uma delas, no estado de Hesse, no oeste do país, onde mora, a mais de 300 quilômetros do local do ataque.

Ele teria deixado a clínica e tomado um trem para Munique ontem (9). Sem dinheiro suficiente para pagar um hotel, dormiu na estação de trem central. Na madrugada de hoje, entrou em um trem para Grafing e ficou na estação por horas, até realizar os ataques, pouco antes das 5h. O local e as vítimas teriam sido escolhidos de forma aleatória.

Segundo as autoridades, ele deu depoimentos contraditórios, o que reforça a tese de confusão mental como causa para a violência. As investigações continuam e amanhã (11) o agressor será levado a um juiz.

A polícia não descarta que el atacante haja estado perturbado como resultado de um problema psicológico ou de intoxicação de alguma sustância psicoativa.

No entanto, caso se confirme que o ataque seja político-religioso, incitado pelo grupo jihadista Estado Islâmico, será o terceiro de este tipo desde setembro de 2015.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati