Al Qaeda assume morte de Benazir

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

28 de dezembro de 2007

Mustafá Abu al-Yazid, dirigente da Al Qaeda no Afeganistão, reivindicou, em nome da organização terrorista, a responsabilidade do assassinato da líder política Benazir Butto, no Paquistão. A agência de notícias Adnkronos International (AKI) informou que: "Acabamos com um ativo muito valioso dos Estados Unidos, que tinha jurado derrubar os mujahedin", diz Yazid, pelo telefone, a uma correspondente da agência do Paquistão, em Karachi.

A notícia da AKI foi assumida com cautela pela comunidade internacional, principalmente pelo motivo de a organização não ter assumido à maneira que costuma fazer, publicando vídeos em sites extremistas.

O texto acrescenta que o "número dois" da Al Qaeda, o egípcio Ayman al-Zawahiri, decidiu assassinar Bhutto, em outubro.

De acordo com a EFE e a Associated Press (AP), o governo do Paquistão acusa os extremistas ligados à Al Qaeda pelo assassinato de Bhutto. Islamabad, porém, toma o cuidado de dizer que não sabe se há ligações diretas entre o atentado e a organização de Osama bin Laden. "É muito provável que os culpados sejam os mesmos elementos extremistas que têm cometido atentados nos últimos tempos em todo o país", explica o porta-voz do ministério de Interior paquistanês, Javed Cheema, à AP.


Notícias relacionadas

Fontes