Benazir Bhutto sai ilesa de atentado no Paquistão

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Attention niels epting.svg
Como parte da política de proteção do Wikinotícias, esta notícia está protegida.

18 de outubro de 2007

A ex-premiê Benazir Bhutto sai ilesa de atentado no Paquistão, logo após aterrissar no aeroporto Jinnah International Airport. Mais de 120 pessoas morrem com as explosões dos homens-bombas, mais de 150 pessoas feridas,[1] em estado grave, foram levadas aos hospitais. A serviço secreto local (inteligência), identificou pelo menos três grupos jihadistas vinculados à Al Qaeda e ao Taliban. Todos podem estar envolvidos nestes ataques suicidas.[2]

Bhutto é detestava por muitos paquistaneses tradicionalista, que consideram a sua regra de ter trazido ao país demasiado estreita com os Estados Unidos. Bhutto já havia dito aos repórteres que "não estava com medo de atentados", e foi concentrando-se na sua missão, apenas horas antes do ataque.

Bhutto, que estava viajando para o aeroporto para um comício, pore meio de carros blindados, em cima de um caminhão, foi levado de volta ao manto e seus ancestrais casa de Bilawal House pela polícia e pelas forças de segurança. Pelo menos 20 policiais foram mortos no bombardeio.

Fontes indicam pode ter havido várias explosões, com uma pequena explosão precede o principal, em o repórter da CNN, Dan Rivers, descreveu como um "ataque em grande escala". Dois outros homens foram levados em custódia após os atentados, um transportando uma cintura de explosivos e outro com uma pistola.

Fontes

Referências

  1. http://br.noticias.yahoo.com/s/18102007/25/mundo-atentado-mata-108-desfile-benazir-no-paquistao.html
  2. http://br.today.reuters.com/news/newsArticle.aspx?type=worldNews&storyID=2007-10-19T005627Z_01_N18205809_RTRIDST_0_MUNDO-PAQUISTAO-ATAQUE-BHUTTO-POL.XML
Na Wikipédia há um artigo sobre Benazir Bhutto.