30% das licenças de pilotagem no Paquistão são falsas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

27 de junho de 2020

Em 24 de junho, o ministro da Aviação do Paquistão, Ghulam Sarwar Khan, declarou que mais de 30% dos pilotos do país têm licenças falsas. Ele acrescentou que 262 de 860 pilotos ativos de vôos comerciais "não foram realmente testados" e "não têm experiência de vôo". Eles pagaram para outras pessoas realizarem os testes. Todos esses pilotos foram retirados do trabalho.

Um representante da Pakistan International Airlines (IPA) reconheceu a existência do problema, mas apontou que ele diz respeito não apenas à IPA, mas a toda a aviação do Paquistão. Essa informação tornou-se especialmente chocante após a queda de uma aeronave Airbus A320 em 22 de maio durante o voo 8303 em Carachi. 97 das 99 pessoas morreram.

A investigação já descobriu que o comportamento não profissional dos pilotos, que durante uma das partes mais complicadas do voo conversaram sobre a pandemia de COVID-19 e ignoraram repetidamente avisos de alerta, contribuiu significativamente para o desastre. Não foi relatado se esses pilotos tinham licenças verdadeiras ou falsas.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com