Tailândia reconhece Estado da Palestina

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Brasil de Fato

20 de janeiro de 2012

Na sexta-feira, 20 de janeiro, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores tailandês, Thani Thongphakdi, informou à delegação palestina e aos Estados-membros das Nações Unidas, em Nova Iorque, que seu governo “reconheceu oficialmente o Estado da Palestina e iniciou o processo de estabelecimento e formalização das relações diplomáticas com o país”.

O anúncio oficial do Ministério foi feito três dias depois de a Missão Permanente da Tailândia nas Nações Unidas comunicar o reconhecimento ao governo palestino. Primeiro país a tomar essa iniciativa em 2012, a Tailândia soma-se às aproximadamente 130 nações que já reconhecem a Palestina como Estado independente.

Boas relações com Israel[editar]

A Tailândia mantém relações amistosas com Israel e é o principal destino turístico dos israelenses. Por isso mesmo, no início deste ano, depois da prisão de um suposto membro do Hezbollah (grupo islâmico xiita formado em 1982 para defender o Líbano da invasão militar israelense, e mais tarde transformado também em partido político) na Tailândia, em 13 de janeiro, as autoridades sionistas alertaram os israelenses para evitar o país sul-asiático, prevendo um ataque armado em Bancoc.

Em 16 de janeiro, a polícia tailandesa encontrou ureia e nitrato de amônia, substâncias utilizadas na fabricação de bombas, em 400 caixas de ventiladores armazenadas no depósito de uma loja na província de Samut Sakhon, a 35 quilômetros de Bancoc. Segundo a polícia, o suposto membro do Hezbollah, que os teria guiado ao depósito, informou que o material seria enviado para fora do país. Dias antes da descoberta do material, a embaixada dos Estados Unidos na Tailândia alertara para possíveis ataques em pontos turísticos daquela nação.

O vice-primeiro-ministro tailandês, Chalerm Yumbumrung, anunciou que, desde outro alerta, dado pela embaixada de Israel no início de 2012, de uma possível ação de “terroristas” na Tailândia, o governo vem realizando investigações em conjunto com autoridades israelenses.

Esse fato, e a prisão do suposto membro do Hezbollah, levaram o governo tailandês a temer um abalo nas relações diplomáticas com países do Oriente Médio. O reconhecimento do Estado da Palestina deve afastar esse temor.

Fontes[editar]

Domínio Público Esta notícia é uma transcrição total da Brasil de Fato.
Este texto tem licença Creative Commons
. A agência de notícias autoriza a reprodução na íntegra desde que citada a fonte.


Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com