Tailândia reconhece Estado da Palestina

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Brasil de Fato

20 de janeiro de 2012

Na sexta-feira, 20 de janeiro, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores tailandês, Thani Thongphakdi, informou à delegação palestina e aos Estados-membros das Nações Unidas, em Nova Iorque, que seu governo “reconheceu oficialmente o Estado da Palestina e iniciou o processo de estabelecimento e formalização das relações diplomáticas com o país”.

O anúncio oficial do Ministério foi feito três dias depois de a Missão Permanente da Tailândia nas Nações Unidas comunicar o reconhecimento ao governo palestino. Primeiro país a tomar essa iniciativa em 2012, a Tailândia soma-se às aproximadamente 130 nações que já reconhecem a Palestina como Estado independente.

Boas relações com Israel[editar]

A Tailândia mantém relações amistosas com Israel e é o principal destino turístico dos israelenses. Por isso mesmo, no início deste ano, depois da prisão de um suposto membro do Hezbollah (grupo islâmico xiita formado em 1982 para defender o Líbano da invasão militar israelense, e mais tarde transformado também em partido político) na Tailândia, em 13 de janeiro, as autoridades sionistas alertaram os israelenses para evitar o país sul-asiático, prevendo um ataque armado em Bancoc.

Em 16 de janeiro, a polícia tailandesa encontrou ureia e nitrato de amônia, substâncias utilizadas na fabricação de bombas, em 400 caixas de ventiladores armazenadas no depósito de uma loja na província de Samut Sakhon, a 35 quilômetros de Bancoc. Segundo a polícia, o suposto membro do Hezbollah, que os teria guiado ao depósito, informou que o material seria enviado para fora do país. Dias antes da descoberta do material, a embaixada dos Estados Unidos na Tailândia alertara para possíveis ataques em pontos turísticos daquela nação.

O vice-primeiro-ministro tailandês, Chalerm Yumbumrung, anunciou que, desde outro alerta, dado pela embaixada de Israel no início de 2012, de uma possível ação de “terroristas” na Tailândia, o governo vem realizando investigações em conjunto com autoridades israelenses.

Esse fato, e a prisão do suposto membro do Hezbollah, levaram o governo tailandês a temer um abalo nas relações diplomáticas com países do Oriente Médio. O reconhecimento do Estado da Palestina deve afastar esse temor.

Fontes[editar]

Domínio Público Esta notícia é uma transcrição total da Brasil de Fato.
Este texto tem licença Creative Commons
. A agência de notícias autoriza a reprodução na íntegra desde que citada a fonte.


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati