Renan Calheiros é absolvido no Senado

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

12 de setembro de 2007

Brasília

Após um dia tumultuado no Congresso, o plenário do Senado, decidiu, por 40 votos a 35 pela absolvissão do senador, e presidente da casa, Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, por quebra de decoro parlamentar.

Tumulto

Atualizado em 29 de julho de 2009 por Armagedon. Retirada a imagem a qual não estava aparecendo a imagem. Para maiores informações veja o histórico.

Na manhã 13 deputados federais, que possuiam liminar do Supremo Tribunal Federal, para acompanhar a seção trocaram socos com seguranças e senadores, ao serem impedidos de entrar no plenário.

O senador Tião Viana, vice-presidente da Casa, e que presidiu a seção secreta, levou um soco de Fernando Gabeira (um dos deputados favorecidos pela liminar) e decidiu, com a Mesa Diretora, recorer ao Supremo contra a liminar, que manteve a decisão do ministro Ricardo Lewandowski.

Seção

A acusação foi feita pela ex-senadora Heloísa Helena, representando o P-Sol, que moveu a ação contra Renan. Antes dela falaram os três relatores do caso no Conselho de Ética, que aprovou por 11 a 4 o parecer pela casação de Renan. Renan e seu advogado também ocuparam para fazer a defesa. Os microfones da seção estavam desligados, os computadores portáteis retirado e não houve gravação da seção.

Renan, livra-se de ser o primeiro presidente do Senado a ser cassado por quebra de decoro, mais ainda existem três processos contra Renan tramitando no Senado.

Notícias relacionadas

Fontes

As categorias deste artigo foram atualizadas em 17 de fevereiro de 2008. Para maiores informações veja o histórico.