Protógenes Queiroz investigou ilegalmente a vida de autoridades, diz "Veja"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de março de 2009

Brasil

O delegado Protógenes Queiroz investigou ilegalmente a vida de autoridades como a ministra Dilma Roussef, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, segundo reportagem publicada hoje pela revista "Veja", datada no dia 11 de março.

Protógenes conduziu por um ano e meio a Operação Satiagraha, que levou à condenação do ex-banqueiro Daniel Dantas, dono do grupo Opportunity, e está sendo investigado pela Polícia Federal. De acordo com a publicação, o delegado dizia agir em nome do presidente Lula, cujo filho Fábio Luís teria sido, nas palavras de Protógenes, "cooptado" pelo ex-banqueiro Daniel Dantas

Ainda segundo a reportagem, as principais evidências de que Protógenes centralizava o trabalho de uma imensa rede de espionagem estariam em um computador apreendido por policiais na casa dele. Entre os documentos encontrados na residência, haveria relatórios que levantariam suspeitas graves sobre atividades de ministros do governo, fotos comprometedoras e gravações ilegais de conversas de jornalistas.

Horas depois em nota, a Polícia Federal disse que não comentará o conteúdo da reportagem da revista, "por se tratar de tema de investigação policial sob segredo de justiça".

Fonte