Saltar para o conteúdo

Presidenta do Peru diz que não vai renunciar

Fonte: Wikinotícias

17 de dezembro de 2022

Email Facebook X WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A presidente do Peru, Dina Boluarte, descartou neste sábado que a renúncia é o caminho para a estabilidade do país e pediu ao Congresso que aprove um projeto de lei para antecipar as eleições gerais, em meio a protestos que deixaram pelo menos 20 mortos e centenas de feridos.

"O que está resolvido com a minha renúncia? Estaremos aqui, firmes, até que o Congresso decida adiantar as eleições", disse Boluarte em mensagem à nação em rede nacional, um dia depois de parlamentares votarem contra projeto de lei para a realização de eleições em dezembro de 2023 em vez de 2026 como proposto anteriormente.

Boluarte substituiu Pedro Castillo. Em 7 de dezembro, o então presidente do Peru ordenou a dissolução do Congresso por meio de uma mensagem na televisão. "A partir da data e até à constituição do novo Congresso da República, este será regido por decreto-lei", disse numa mensagem dirigida a toda a nação.

Minutos depois desse anúncio e com o apoio das Forças Armadas do país latino-americano, Castillo foi preso. Segundo César Candela, especialista em governo e políticas públicas consultado pela Voz da América, a ação rápida das autoridades policiais foi fundamental para retomar o controle das instituições democráticas o mais rápido possível.

Fontes[editar | editar código-fonte]