Partido de Lula participa de frente a favor da libertação de líder das FARC

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

15 de dezembro de 2005

Brasil

O Partido dos Trabalhadores (PT), o mesmo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, junto a outros partidos e organizações  criaram uma comissão em defesa da liberdade de Francisco Antonio Cadenas Collazzos, também conhecido como "Padre" Olivério Medina ou "el Cura Camilo".

Colazzos é representante internacional das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC-EP). Ele foi preso no Brasil no dia 24 de agosto de 2005 pela Polícia Federal, a pedido do Supremo Tribunal Federal que atendeu uma solicitação do governo colombiano. O representante das FARC está a ser processado por "homicídio com fins terroristas, seqüestro extorsivo, rebelião e terrorismo" na Colômbia.

Colazzos aguarda o julgamento do Supremo que decidirá sobre o pedido de extradição do governo colombiano. Atualmente ele está preso na Superintendência da Polícia Federal em Brasília.

O Comitê pela Liberdade do Padre Olivério está a organizar acções jurídicas e junto a políticos e autoridades brasileiras para que Francisco Antonio Cadenas Collazzos seja libertado e não seja extraditado para a Colômbia. O advogado brasileiro Paulo Guimarães, ligado ao PCdoB, é representante de Collazzos e trabalha na defesa dele.

O advogado Lúcio Dias, do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz), organização que faz parte do comitê em defesa do colombiano, declarou que Colazzos está confiante e espera ser ajudado pelos brasileiros.

Segundo Dias, a estratégia do Comitê é fazer com que Colazzos seja considerado refugiado, o que lhe garantiria a proteção do Governo brasileiro. Um pedido neste sentido já foi feito ao Conselho Nacional de Refugiados do Itamarati (Conare). “Esperamos que o Conare julgue o mais rápido possível a procedência do pedido”, disse Ivonete Nascimento, representante do Cebrapaz no Distrito Federal. Se o Conare considerar o colombiano um refugiado, o processo de extradição pode ser suspenso pelo Supremo Tribunal Federal.

Participam do Comitê pela Liberdade do Padre Olivério (ou Francisco Antonio Cadenas Collazzos, ou "el cura Camilo"): PCdoB, PT, P-SOL, PCB e PCM, União Brasileira de Mulheres (UBM), Centro de Estudos Latino Americano (Cela), União da Juventude Socialista (UJS), Juventude Avançada, Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade de Brasília (UnB), Comissão de Direitos Humanos da Câmara os Deputados, Sindicato dos Trabalhadores dos Correios e Telégrafos, Sinpro, Sindágua, Sindecof, Amar-DF, UJS, UNE, DCE da UnB, Fenassera, Cebrapaz, Coordenação Continental Bolivariana do DF, Oclae.

Ver também

Fontes

As categorias deste artigo foram atualizadas em 24 de agosto de 2006. Para maiores informações veja o histórico.