Os oceanos estão mais quentes do que nunca, criando um clima global caótico

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

5 de fevereiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Agência VOA

Os oceanos ficaram ainda mais quentes no ano passado do que no ano anterior, sobrecarregando os padrões climáticos já extremos em todo o mundo, de acordo com um relatório recente publicado na revista Advances in Atmospheric Sciences.

Vinte e três cientistas internacionais analisaram milhares de medições de temperatura do oceano. Desde 2018, quando o grupo começou a publicar suas descobertas, eles descobriram que as temperaturas dos oceanos estão subindo a cada ano. Mas o aquecimento não é consistente em todo o planeta.

Em 2021, os pesquisadores descobriram que, devido aos padrões e correntes de vento, algumas partes dos oceanos Atlântico, Índico e Pacífico norte aqueceram mais rapidamente.

“O movimento da água nos oceanos do mundo distribui o calor de forma não uniforme, então algumas áreas recebem mais calor e outras menos, o que significa que certas partes dos oceanos aquecem mais rápido que outras”, disse John Abraham, coautor do estudo, e cientista do clima da Universidade de St. Thomas, em Minnesota.

As crescentes concentrações de gases de efeito estufa das atividades humanas estão tornando os oceanos muito quentes, disse Abraham à VOA.

“No ano passado, os oceanos absorveram calor equivalente a sete bombas de Hiroshima sendo detonadas no oceano a cada segundo de cada dia, 365 dias por ano”, disse ele. Mas mesmo um ligeiro aumento na temperatura dos oceanos pode ser devastador.

“O aquecimento geral agora é superior a 1 grau Celsius”, disse Michael Mann, professor de ciência atmosférica da Universidade Estadual da Pensilvânia e colaborador do relatório. “E embora isso possa soar como uma pequena quantidade de aquecimento, mesmo mudanças modestas na temperatura podem ter um enorme impacto no sistema climático”, o que pode causar o declínio das populações de peixes e o colapso das camadas de gelo na Antártida.

Apenas uma pequena quantidade de calor dos gases de efeito estufa fica realmente retida na atmosfera. A maior parte é absorvida pelos oceanos.

"Os oceanos armazenam 90% do calor do aquecimento global e são um indicador robusto da mudança climática. Agora, nossos oceanos estão aquecendo a uma taxa excepcional que tem sérias consequências", disse Lijing Cheng, principal autor do estudo e professor associado do Instituto de Física Atmosférica da Academia Chinesa de Ciências. "O aumento do nível do mar torna as comunidades costeiras mais suscetíveis a tempestades que ameaçam a infraestrutura costeira", disse Cheng à VOA.

O aquecimento dos oceanos está causando estragos nos sistemas climáticos da Terra.

“Os oceanos dirigem o clima”, disse Abraham. “Oceanos mais quentes estão tornando nosso clima mais selvagem — indo de um extremo a outro mais rapidamente”, disse ele. “Os oceanos estão aquecendo e umedecendo a atmosfera, o que está criando tempestades mais intensas.”

Tornados, furacões, inundações e até tempestades de neve “estão todos ligados ao aquecimento dos oceanos”, disse Alexey Mishonov, outro coautor e pesquisador associado do Centro Interdisciplinar de Ciências do Sistema Terrestre da Universidade de Maryland. Mann disse que os gases de efeito estufa precisam ser reduzidos significativamente em breve ou as consequências ambientais se tornarão ainda piores.

“Temos que reduzir as emissões de carbono em 50% nesta década”, disse ele. “Precisamos que os governos forneçam incentivos para afastar as indústrias de energia e transporte dos combustíveis fósseis e em direção às energias renováveis.”

Fonte