Nova Orleães enfrenta devastação, epidemias e saques depois da passagem do Katrina

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A cidade de Nova Orleans, depois da passagem do Katrina (29/Ago/2005, 17:24:22 hora local).

3 de setembro de 2005

Depois da passagem do furacão Katrina, no começo desta semana pelo sul dos Estados Unidos da América, Nova Orleans, a cidade mais afetada, já começa a sentir as conseqüências da catástrofe.

Cerca de 80% da cidade está inundada, há riscos de epidemias gastrointestinais, saqueadores invadem as ruas e há milhares de pessoas feridas. Algumas delas foram abrigadas no Louisiana Superdome e outras transportadas para demais cidades como Houston, no estado do Texas.

Uma porta-voz da Associação Hospitalar de Louisiana declarou que são milhares as pessoas enfermas e é necessário que os hospitais se preparem para recebê-las.

Saques se tornaram freqüentes, a tal ponto que as autoridades decidiram militarizar a cidade. Na quarta-feira (31/08), as operações de resgate foram suspensas depois que foram ouvidos disparos nos arredores do Superdome, que ao que parece foram dirigidos aos helicópteros que sobrevoavam o local. O Pentágono disse que enviará 45 mil homens da Guarda Nacional, cuja missão será ajudar as vítimas e manter a ordem.

O presidente George W. Bush declarou que este é "um dos piores desastres" na história de seu país e que a "primeira prioridade é salvar vidas". Bush iniciou na sexta-feira uma visita pela zona do desastre, no meio de críticas pela aparente parcimônia com que atuaram as autoridades e os servidores públicos locais e federais para atender a emergência.

Multimédia

(video)
Engineers Work Frantically to Restore Flood Controls in New Orleans (em inglês) (info)
Engenheiros trabalham freneticamente para retirar a água da cidade (1,7MB). Fonte: VOA.
Problemas para ver o vídeo? Ajuda media.


Notícias relacionadas

Fontes