Número de mortos em terremotos na Síria e Turquia sobe para 37.000

Fonte: Wikinotícias

13 de fevereiro de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Equipes de resgate na Turquia retiraram várias outras pessoas vivas dos escombros na segunda-feira, mais de uma semana depois que uma série de terremotos fortes atingiu a região matando 37.000.

A televisão turca transmitiu cenas de várias outras pessoas sendo resgatadas na segunda-feira, mas especialistas alertaram que as chances estão reduzindo para encontrar mais pessoas vivas nos restos de edifícios desmoronados.

Residentes turcos em Samandag, Hatay, reclamaram que o governo não fez o suficiente na busca por sobreviventes.

“Resgatamos uma senhora e seu bebê debaixo dos escombros. Vivos. Com nossos próprios esforços. Com nossas próprias marretas, com nossos martelos. Eu tinha muitos amigos comigo. Isso não é aceitável”, disse um sobrevivente.

As autoridades turcas relataram pelo menos 31.643 mortes no forte terremoto centrado na região de Gaziantep.

Do outro lado da fronteira, no norte da Síria, o escritório humanitário das Nações Unidas disse na segunda-feira que o número de mortos superou 4.300, com outros 7.600 feridos.

Equipes internacionais de busca e resgate, bem como ajuda médica e de outros tipos, chegaram à Turquia desde o terremoto ocorrido nas primeiras horas da manhã de 6 de fevereiro.

Autoridades na Turquia disseram na segunda-feira que mais de 150.000 sobreviventes foram transferidos para abrigos fora das províncias afetadas.

Levar ajuda às partes da Síria atingidas pelo terremoto tem sido um desafio maior, com entregas externas restritas a uma única travessia na fronteira Turquia-Síria. As remessas de áreas controladas pelo governo para áreas controladas por rebeldes foram retidas em meio a negociações com as várias partes para permitir o acesso humanitário.

“Até agora, falhamos com as pessoas no noroeste da Síria”, twittou o chefe de ajuda da ONU, Martin Griffiths, no domingo, enquanto visitava a região. “Eles se sentem abandonados com razão.”

Griffiths disse que a fase de resgate está "chegando ao fim", com o foco mudando para ajudar aqueles que precisam de abrigo e comida.

Fontes