Morre em Londres a cantora Amy Winehouse

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Amy Winehouse em Berlim, 2007

23 de julho de 2011

Londres, Reino Unido

A cantora britânica Amy Winehouse foi encontrada morta em sua residência em Londres. A artista tinha problemas com drogas e álcool.Conforme o tablóide britânico The Sun, Amy pode ter morrido seis horas antes dela ter sido encontrada e um policial ligado à investigação disse ao site People que não havia encontrado sinais de drogas ou acessórios para uso de entorpecentes perto do corpo.

Dez minutos depois de ser noticiada a morte da cantora por TVs da Inglaterra, o assunto, no Twitter, foi o mais discutido no mundo, chegando a ficar em primeiro nos trending topics (mais comentados) com a hashtag #amywinehouse.Também pelo twitter, celebridades como Kelly Osbourne, cantora e filha de Ozzy Osbourne e Demi Moore prestaram homenagens a Amy.

Amy tinha a idade de 27 anos, a mesma idade que vários artistas lendários como Jim Morrison, Jimi Hendrix e Janis Joplin morreram, formando um seleto grupo denominado pela imprensa mundial como o "Clube dos 27", em referência à coincidente idade de sua morte. A necrópsia realizada no cadáver foi inconclusiva e não apontou a causa da morte, e a polícia ordenou exames toxicológicos complementares.

Dois meses antes de sua morte, o médico pessoal da cantora havia advertido que ela corria risco de morte. Em 2007 e 2008 ela já havia corrido risco de perder sua vida devido às drogas.

O funeral de Amy Winehouse foi realizado no dia 26 de julho no cemitério de Edgwarebury, no Norte de Londres. Seu corpo foi cremado após a cerimônia e, a pedido da cantora, as suas cinzas foram misturadas com as da sua avó Cynthia, falecida em 2006, vítima de cancro.


Fontes

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Wikipedia Artigos na Wikipedia

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati