Mark Esper: China e Rússia têm muito menos aliados do que os EUA

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

23 de outubro de 2020

Na véspera da reunião dos ministros da Defesa da OTAN, que será realizada online nos dias 22 e 23 de outubro, o Secretário da Defesa dos EUA, Mark Esper, anunciou que Washington planeja desenvolver ativamente parcerias com aliados, inclusive para enfrentar a Rússia e a China.

“A rede de aliados e parceiros da América nos dá uma vantagem assimétrica que nossos adversários não podem superar”, disse o secretário de Defesa dos Estados Unidos. "Na verdade, China e Rússia juntas provavelmente têm menos de 10 aliados."

Ao mesmo tempo, ele enfatizou, as relações aliadas de Washington são baseadas na observância da ordem internacional, enquanto "a China e a Rússia estão modernizando rapidamente suas forças armadas e usando seu poder crescente para ignorar o direito internacional, violar a soberania de pequenos Estados e alterar o equilíbrio de poder em seu próprio benefício."

“Essa competição entre as grandes potências é global. Vemos que a Rússia e a China estão operando na América do Norte e do Sul, África, Oriente Médio, Ártico e Antártico”, acrescentou ele.

De acordo com a Estratégia de Defesa Nacional dos Estados Unidos, a Rússia e a China são vistas por Washington como a mais séria ameaça à segurança do país e de seus aliados na "era da competição de grandes potências". Além disso, "Estados desonestos" como Coreia do Norte e Irã e várias organizações extremistas representam uma ameaça à segurança dos EUA, disse Esper.

Além de fortalecer as relações com aliados, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos prioriza o aumento da prontidão militar do país e a alocação estratégica de recursos.

Mark Esper também falou sobre várias de suas reuniões e consultas com a Romênia, a Bulgária e os países bálticos. Após a assinatura, em agosto deste ano, de um acordo de cooperação em defesa entre os Estados Unidos e a Polônia, observou Esper, existe a possibilidade de enviar parte das tropas estadunidenses para a região do Leste Europeu de forma permanente, e não rotativa, como tem sido até agora.

Os EUA planejam aumentar o investimento no desenvolvimento de armas avançadas, como mísseis hipersônicos e inteligência artificial, que também estão sendo feitos pela Rússia e China, disse Esper. Ao mesmo tempo, Washington precisa melhorar as defesas antimísseis.

Fontes

Ligação a um site em russo Марк Эспер: у Китая и России намного меньше союзников, чем у СШАVOA, 21 de outubro de 2020

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com