Líder do grupo extremista Proud Boys é indiciado por conspiração

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

7 de junho de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O líder e quatro outros membros do grupo de extrema-direita Proud Boys foram ontem indiciados pelo Tribunal Federal dos Estados Unidos por conspiração e outros crimes relacionadas à invasão do Capitólio em janeiro de 2022. Viraram réus Henry “Enrique” Tarrio, 38, de Miami, Flórida, ex-presidente nacional dos Proud Boys; Ethan Nordean, 31, de Auburn, Washington; Joseph Biggs, 38, de Ormond Beach, Flórida; Zachary Rehl, 37, da Filadélfia, Pensilvânia; e Dominic Pezzola, 44, de Rochester, Nova York.

Todos os réus, que já estão detidos há algum tempo, agora enfrentam um total de nove acusações e Pezzola enfrenta também uma acusação adicional de roubo, informou o Tribunal.

A decisão de que os acusados virariam réus coube a um júri federal do Distrito de Columbia e os réus devem comparecer a uma audiência na corte dentro amanhã.

Relembre

Em 06 de janeiro de 2021, centenas de manifestantes pró-Trump se reuniram em frente ao Capitólio, sendo que dezenas deles invadiram o prédio para tentar impedir a certificação de Joe Biden pelo Congresso. O vice-presidente Mike Pence, que presidia a sessão, teve que ser evacuado, assim como todos os congressistas, incluindo a senadora Kamala Harris, que seria declarada a vice-presidente dos Estados Unidos que assumirá em 20 de janeiro próximo.

Pouco antes da invasão, Donald Trump, que havia saído perdedor do pleito e durante semanas acusou o sistema eleitoral de ter sido fraudado, havia incentivado seus seguidores a irem até o Capitólio para evitar a certificação, apesar dele posteriormente negar que tenha pedido que o prédio fosse invadido.

Notícias Relacionadas

Fontes