Islândia receberá empréstimo do FMI

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O sistema financeiro islandês naufragou por causa da crise financeira global.

24 de outubro de 2008

Reykjavík, Islândia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) firmou um acordo "experimental" para ajudar o sistema financeiro da Islândia, corroído pela crise financeira. O país nórdico foi gravemente afetado pelos problemas econômicos globais, e em consequência disto, os três maiores bancos islandeses, bastante endividados, deverão ser estatizados em setembro e outubro.

"A meta é apoiar os esforços da Islândia para ajustar a crise econômica de uma maneira mais organizada e menos dolorosa", declarou o titular do FMI, Dominique Strauss-Khan.

Se o plano for aprovado, o empréstimo será de $2,1 bilhões de dólares e $833 milhões estarão a disposição imediata da Islândia.

As autoridades islandesas declararam que o dinheiro será utilizado principalmente para estabilizar a moeda, reintroduzir um sistema funcional flexível de tipos de interesse e revisar o sistema regulatório. Se espera que o pagamento da divida aconteça entre 2012 e 2015.

"Este programa permitirá a nós assegurar fundos e ter acesso a experiência ténica necessária para estabilizar a coroa islandesa e prover apoio ao desenvolvimento de um sistema financeiro saudável", ressaltou o Primeiro-ministro islandês, Geir Haarde. "Como resultado, a Islândia se comprometerá a uma política econômica sustentável a longo prazo e um plano de recuperação da economia islandesa.

Um representante do FMI, Paul Mathias Thomsen, determinou que se busca a queda da inflação de 14% no mês passado, para menos de 4,5% até o final do ano, restabelecendo o valor da moeda islandesa. As divisas islandesas perderam quase metade de seu valor no decorrer do ano.

Com este empréstimo, o país torna-se a primeira nação ocidental que se aproxima do FMI em busca de ajuda desde 1976. A organização elogiou o "ambicioso programa econômico", por que concederá o empréstimo, doze vezes a contribuição do país nórdico ao FMI, apesar das políticas do fundo de não conceder empréstimos que excedam cinco vezes a quota do país.

A Islândia também havia pedido, a princípio, empréstimos a Rússia, com um valor de $4.000 milhões de dólares, mas as negociações não chegaram a um acordo.

Fontes