Irmãos são destaque em campanha brasileira nos Parapan

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Agência Brasil

1 de setembro de 2019

Pelo menos dois dos 337 atletas da delegação brasileira que esteve em Lima para participarem dos Jogos Parapan-Americanos têm muito em comum. Josemarcio Sousa, do goalball e Lucilene, da Natação, são irmãos. Nascidos em Santa Maria do Pará, a 160 km da capital Belém e têm a mesma deficiência: a atrofia do nervo ótico, que causa uma perda irreversível da visão. Isso quer dizer que em algum momento os dois ficaram completamente cegos.

A morte precoce do pai também afetou a família. “Ele morreu quando eu tinha pouco mais de um ano. E minha mãe ficou sozinha para criar os dez filhos,” lembra a Lucilene.

Os irmãos partiram para São Paulo juntos em 2013, para participar das Paralimpíadas Escolares. Naquela época, Parazinho, como Josemarcio é conhecido, já estava no goalball. Ele chegou à seleção em 2013 e hoje é campeão mundial, bronze paralímpico e conquistou o bicampeonato parapan-americano em Lima. “Parece impossível. Mas não é. Acreditem nos seus sonhos. As Paralimpíadas Escolares foram as portas para tudo isso.”

Lucilene passou por outras modalidades até chegar à natação. “A gente saiu muito cedo de casa. Eu saí com 12 anos. Queríamos melhorar. E encontramos o esporte. Passei pelo goalball, pelo atletismo, até achar a natação.” A mudança definitiva para São Paulo foi em 2018 para focar os treinos na natação em Indaiatuba, interior do estado.

Nos Jogos Parapan-Americanos Lucilene representou o Brasil pela primeira vez no exterior e faturou três medalhas de prata. “Representar o Brasil, a família e o estado do Pará é uma felicidade sem tamanho”.

Durante os Jogos, os dois se encontraram na Vila dos Atletas. Parazinho, mais experiente, passou algumas dicas para a irmã. “Concentração, foco e uma dieta adequada. Isso que eu procurei passar para ela”. Lucilene considera que estar ao lado dele foi fundamental para essa estreia internacional. “A gente está firme. Nos damos muito bem. Foi demais tê-lo aqui.”

Depois dos Jogos de Lima, a garota de 19 anos já embarcou direto com a delegação nacional para o Mundial de Natação de Londres. “É o que eu sempre sonhei. Esperei muito para esse momento. Não tem cansaço que possa tirar a felicidade que estou sentindo.”

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati