Hospital diz que são 28 as vítimas fatais em Qana, não 56 como havia sido divulgado

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

3 de agosto de 2006

Segundo um dos últimos boletins da AFP, os diretores do hospital de Tiro, no Líbano, informaram que o número de vítimas fatais no incidente em Qana foi 28, ao contrário dos 56 (ou 54) inicialmente divulgados por fontes libanesas e parte da imprensa.

O website da ONG Human Rights Watch (HWR) também confirmou em 28 o número de vítimas fatais e disse o seguinte. Segundo a sua diretora para assuntos no Oriente Médio, Sarah Leah:

"A estimativa inicial de 54 pessoas mortas foi baseada em um registro de 63 pessoas que tinham buscado abrigo no térreo do edifício que foi atingido, e as equipes de socorro localizaram nove sobreviventes. Agora parece que pelo menos 22 pessoas escaparam, e 28 estão confirmadas mortas, segundo os registros da Cruz Vermelha Libanesa e do hospital do governo em Tiro."

Sarah Leah acusou ainda Israel de fazer bombardeios indiscriminados no Líbano.

No website da HRW está a lista com os nomes dos mortos.

No domingo (30 Jul), foi divulgado por grande parte da mídia ([1], [2], [3]) que um prédio de três andares em Qana ruiu e causou a morte de mais de 50 pessoas, entre elas cerca de 37 crianças. O incidente teria sido confirmado por autoridades libanesas do local.

O desabamento do edifício foi atribuído a um bombardeio da Força Aérea Israelense. As Forças de Defesa de Israel pediram desculpas pelo ocorrido, disseram que não tinham a intenção de atingir civis e que toda a operação ocorreu porque o Hizbollah estaria a disparar foguetes contra cidades israelenses a partir dessa região.

Nos últimos dias têm havido muita especulação sobre os factos relacionados ao incidente em Qana, principalmente desde que um blog britânico questionou a autenticidade de algumas fotografias divulgadas pela grande mídia.


Fontes