Google proibirá aplicativos com rastreamento

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

14 de julho de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
Googleplex
Googleplex em junho de 2019

A partir de 11 de agosto, o Google proibirá aplicativos que efetuem rastreamento. São apps que podem ser usados ​​para monitorar mensagens de texto, telefonemas ou histórico de navegação; rastreadores de GPS que monitoram a localização sem o consentimento do usuário. Além disso, a restrição será aplicada a equipamentos de vigilância — câmeras, gravadores de som, gravadores de vídeo, "monitores de bebês".

No entanto, o Google enfatiza que a proibição não afetará os serviços usados por pais para cuidado dos filhos. Em caso de violação da regra, os desenvolvedores receberão avisos uma semana antes de um possível bloqueio.

Esses aplicativos já estão proibidos no Google Play e na Apple Store, no entanto, alguns deles ainda podem ser baixados diretamente nos sites dos desenvolvedores. Além disso, os aplicativos de rastreamento às vezes aparecem nas próprias lojas.

Durante 2018, especialistas descobriram 58.487 dispositivos infectados com stalkerware — uma taxa muito baixa em comparação com outros malwares (por exemplo, 187.321 dispositivos foram infectados com ransomware). No entanto, vale a pena entender que os usuários podem se proteger de ameaças com a ajuda de serviços de segurança.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit