Fundadores de empresas de Internet assinam una carta aberta ao Washington contra SOPA e PIPA

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Navegação Internet
Outras notícias sobre Internet

16 de dezembro de 2011

Os fundadores de diversas corporações que funcionan em torno da Internet, como Sergey Brin, co-fundador do Google; Jack Dorsey, Biz Stone e Evan Williams, co-fundadores do Twitter, David Filo e Jerry Yang da Yahoo!; Pierre Omidyar de eBay e Jimmy Wales de Wikipédia, assinaram uma carta aberta dirigida ao Washington, onde eles expressam sua preocupação diante os ante-projeto de lei conhecido como SOPA e PIPA e acusam de minar a liberdade de expressão e a segurança online.

Todos nós tivemos a sorte de haver fundado grupos ou associações baseadas com base na Internet, em meio de um ambiente regulador que promovia o setor empresarial, a inovação, a criação de conteúdo e a livre expressão online.

Atualmente, teme-se que o projeto ‘Protect IP Act’ [Lei Proteção ao IP] e o ‘Stop online piracy Act’ [Lei Pare com a Pirataria Online] (que inicialmente estavam fundados em na boa intenção de combater a pirataria online) puseram em dúvida nessa estrutura.

Extraído da carta aberta dos empresários de Internet à Washington

Sergey Brin havia publicado uma atualização no seu perfil do Google+, onde manifiesta se aprovar ditos projetos de lei, Estados Unidos se uniria a outros países que regulam e censuram o conteúdo na Internet, como China e Irã. Segundo Brin, estes dois projetos de lei são uma clara ameaça à liberdade de expressão. Além disso, Brin destacou que a Internet tem desempenhado um papel importante na democratização do acesso à informação em todo o mundo e diversos serviços online como Google, Yahoo!, Wikipédia e Twitter, entre outros, haviam contribuído para que isso suceda.

Estos projetos de lei haviam sido motivados principalmente pelas indústrias cinematográfica e música, onde eles acreditam que a Internet afeta seus ganhos, pois os usuários fazem download e "pirateiam" o conteúdo produzido por eles em vez de comprá-lo fisicamente, apesar de existirem plataformas on-line para a compra e download legal de conteúdo. Mesmo certas companias de cinematográficas ameaçam encerrar as atividades com provedores de serviços na Internet, se não apoiar SOPA. SOPA e PIPA estão pendentes de aprovaçãoo no Congresso dos Estados Unidos e têm desatado importantes controvérsias, porque sua aprovação iria introduziria medidas legais que proporcionariam aos titulares de direitos de autor (copyright) a capacidade de censurar DNS e resultados de busca (ou pesquisa ou seach) sem que um juiz tome parte real no processo, diante suspeitas de que os donos de web sites utilizam conteúdo protegido por copyright sem autorização.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati