Forças Aéreas russa e síria suspendem bombardeios contra Aleppo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rebeldes atiradores posicionados em Aleppo.

Agência VOA

18 de outubro de 2016

A «pausa humanitária» vai começar a operar em Aleppo (ou Alepo), Síria, na manhã do dia 20 de outubro, para dar a oportunidade de saída da cidade aos insurgentes e civis. Disse aos repórteres o chefe da Direcção de Operações principais do Estado-Maior Geral da Federação Russa, Tenente-General Sergey Rudskoy:

A questão da Rússia com os países da ONU tendo um impacto sobre «Jablat al-Nusra» a retirar as suas forças de Aleppo, de acordo com a iniciativa do enviado especial do Secretário-Geral das Nações Unidas, Staffan de Mistura... Decidimos para economizar tempo e dar início a uma «pausa humanitária», especialmente para a livre passagem de civis, evacuação dos doentes e feridos, bem como a retirada dos combatentes.

Em particular, de acordo com ele, 20 de outubro, das 8h às 16 horas na região de Aleppo será introduzida «pausa humanitária», altura em que a FAR (Força Aéreoespacial Russa) e as forças do governo sírio suspenderam os ataques.

General acrescentou:

Fomos informados de que, os insurgentes estão a tentar «desaparecer» entre a população civil, armas de arremesso e raspando a barba. Apelamos aos líderes de grupos armados ilegais e os seus patrocinadores, que a partir das 8 horas do dia 20 de outubro, vocês serão capaz de deixarem livremente a área leste de Aleppo em dois corredores.

Em 18 de outubro, às 10 horas, FAR e Força Aérea síria suspenderam ataques na área de Aleppo. Informação dita aos jornalistas pelo ministro da Defesa do Exército russo, o general Sergei Shoigu:

Rescisão antecipada é necessária para a volta dos ataques aéreos «pausa humanitária» em 20 de outubro. Isto irá garantir a segurança dos seis corredores de saída para civis e se preparar para a evacuação de pacientes e os feridos da parte oriental de Aleppo.

De acordo com Shoigu, antes da «pausa humanitária», as tropas sírias afastarão do Aleppo, os rebeldes foram capazes de deixarem a cidade em dois corredores especialmente criados.

Mais cedo, a falar aos repórteres na segunda-feira em Moscovo (ou Moscou), o tenente-general Sergei Rudskoy disse que as tropas russas e da Síria vão suspender combates em Aleppo, das 8 às 16 horas em 20 de outubro, para permitir a livre circulação de civis, evacuação dos soldados e saída de doentes e feridos. De acordo com Rudskoy, dois corredores serão organizados em ordem, de modo que as pessoas possam a deixarem da cidade.

Shoigu disse na quarta-feira, 19 de outubro, que os peritos militares vão se reunir em Genebra (Suíça), que vai começar a trabalhar sobre a separação dos «terroristas» e a oposição síria:

Este trabalho será destinado, antes tudo, para separar os terroristas da oposição moderada e a sua retirada da parte oriental de Aleppo. Um grupo de peritos militares da Rússia já chegou a Genebra para trabalhar em conjunto.

Nos últimos meses, a situação do Aleppo na Síria se deteriorou: contínuos pesados ​​combates em Aleppo e seus arredores. O presidente sírio, Bashar al-Assad está a tentar recuperar o controlo sobre a cidade, que já tinha uma reputação de estável. O Ocidente acusa Moscovo e Damasco nos ataques a alvos civis e as posições dos grupos de oposição. Os EUA e alguns países europeus acusam Rússia e Síria pelas atrocidades em Aleppo, mas autoridades russas negam as acusações.

Em 15 de outubro, a reunião sobre a resolução da Síria foi realizada em Lausanne (Suíça). As conversações a presença do ministro do Exterior russo, Sergei Lavrov; Secretário de Estado dos EUA, John Kerry; o enviado especial do Secretário-Geral da ONU sobre a Síria, Staffan de Mistura, bem como os ministros da Turquia, Arábia Saudita, Irão, Catar, Jordânia, Egipto e Iraque. A reunião durou cerca de 4,5 horas, mas terminou sem qualquer acordo. Os participantes não fizeram uma declaração conjunta para a imprensa.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati