Fonte da notícia não confirmada da Newsweek pode ter sido um sargento americano

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

18 de maio de 2005

Alguns blogs especulam que a fonte anônima para a suposta falsa matéria da revista Newsweek é um sargento do exército americano chamado Erik Saar que supostamente trabalhou em Guantânamo, de dezembro de 2002 a junho de 2003.

Saar publicou recentemente um livro, em co-autoria com Viveca Novak da revista Time, chamado Inside the Wire. O livro está a ser divulgado em vários lugares inclusive pelo Washington Post. No livro são feitas denúncias de supostas torturas cometidas por agentes americanos contra os prisioneiros.

Numa das passagens do livro está escrito que uma agente americana esfrega a mão suja de sangue no rosto de um prisioneiro dizendo que se trata de sangue da mestruação. Esta passagem é citada na matéria da Newsweek.

A editora do livro, Penguin Press, em seu website tem publicada uma errata em que afirma que certas passagens do livro referentes à participação de militares americanos da CACI em supostas torturas não é verdadeira. A editora lamenta o erro e pede desculpas aos leitores:

Nas páginas 191-192 de "Inside the Wire: A Military Intelligence Soldier’s Eyewitness Account of Life at Guantanamo" de Erik Saar e Viveca Novak erroneamente afirma-se que interrogadores à paisana da CACI contratados pelo exército estiveram na Baía de Guantânamo.(...) O CACI afirmou inequivocamente que não teve nenhum envolvimento em qualquer operação de interrogatório em Guantânamo e que não teve nenhuma relação em absoluto com os interrogadores à paisana contratados implicados no uso das técnicas de interrogação como está discutido no livro. A Penguim Press e os autores reconhecem e lamentam o erro. [1]

Segundo o blog de Michelle Malkin, a Newsweek negou para a Penguin Press que Erik Saar foi a fonte anônima citada na matéria da revista. [2]

Página externa

Ver também

Fontes