Europol fica sem recursos para investigar casos de pornografia infantil na web

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

10 de outubro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

As agências europeias de aplicação da lei estão sobrecarregadas com casos de material online relacionado ao abuso infantil. É o que afirma o relatório publicado esta semana pela Europol.

De acordo com o relatório, o número de pornografia infantil detectada na internet continua crescendo a cada ano. Além disso, um grande aumento foi registrado durante os meses de pico da pandemia de COVID-19.

Embora o número de páginas de pornografia infantil bloqueados tenha aumentado durante a quarentena nos países da UE, as agências de aplicação da lei receberam um número recorde de reclamações sobre esse tipo de conteúdo. O problema atingiu tais proporções que a Europol já não dispõe de recursos suficientes para tratar cada reclamação separadamente.

“Muitos investigadores nos países da UE têm que resolver uma tarefa difícil todos os dias e tomar uma decisão impossível — investigar um caso ou outro”, diz o relatório.

O aumento do número de materiais pornográficos produzidos pelas próprias crianças, que passam mais tempo na internet devido à quarentena, é motivo de grande preocupação. Além disso, durante o período de isolamento, o número de transmissões "ao vivo" de pornografia infantil disparou. De acordo com os especialistas da Europol, isso se deve ao fato de que, durante a quarentena, os abusadores reduziram significativamente a capacidade de encontrar vítimas no mundo real e passaram para as redes.

Fontes

ru У Европола закончились ресурсы для расследований случаев детского порно в СетиSecurityLab, 8 de outubro de 2020

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com