Estudo indica que uso de tabaco entre adolescentes é substancial

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

3 de fevereiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Um estudo divulgado na revista científica The Lancet e na Science Direct da Elsevier, uma empresa de informações analíticas, indicou que, embora a prevalência do tabagismo tenha diminuído ao longo do tempo na maioria dos países, a prevalência global do uso de tabaco entre adolescentes de 13-15 anos ainda é substancial. O estudo usou dados da pesquisa Global Youth Tobacco Surveys da OMS.

Com base em dados coletados entre 2010 e 2018 junto a 530.234 adolescentes de 143 países, o estudo verificou que globalmente 11,3% dos meninos e 6,1% das meninas haviam fumado ao menos 1 dia nos últimos 30 dias e que 4,2% dos meninos e 1,6% das meninas havia fumado ao menos 6 dias nos últimos 30.

O estudo analisou também o uso de produtos de tabaco em geral - tabaco de mascar, rapé, charutos, cigarrilhas, cachimbo e cigarros eletrônicos, entre outros - constatando que 11,2% dos meninos e 7,0% das meninas havia usado algum destes produtos ao menos 1 dia nos últimos 30 dias.

A pesquisa da OMS

Em 1998 a OMS lançou uma iniciativa para coletar informações sobre o uso do tabaco pelos jovens, que levou a pesquisa Global Youth Tobacco Survey (GYTS). A pesquisa, que é aplicada em diversos países, está baseada em sete (07) áreas:

  1. Conhecimento e atitudes dos jovens em relação ao tabagismo
  2. Prevalência de tabagismo e outros usos do tabaco entre os jovens
  3. Papel da mídia e da publicidade no uso de cigarros pelos jovens
  4. Acesso a cigarros
  5. Currículo escolar relacionado ao tabaco
  6. Fumaça de tabaco no ambiente (ETS)
  7. Cessação do tabagismo

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit