Eleições nos EUA causam extrema polarização da sociedade

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

5 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O vencedor da eleição presidencial dos Estados Unidos ainda é desconhecido e, em meio a essa incerteza, os especialistas temem uma nova divisão na sociedade e desejam evitar declarações provocativas

De acordo com o The New York Times, Joe Biden está na liderança com 264 a 214 no Colégio Eleitoral. Para vencer a eleição presidencial dos EUA, são necessários pelo menos 270 dos 538 votos eleitorais.

As autoridades eleitorais continuam a contar milhões de votos, alguns dos quais entregues dados na terça-feira, mas muitos durante semanas de votação antecipada.

Apesar da incerteza, Donald Trump apareceu em frente às câmeras da Casa Branca na manhã de quarta-feira , dizendo que acreditava em sua vitória e estava pronto para ir à Suprema Corte para tentar impedir a contagem.

O candidato democrata, por sua vez, apelou aos simpatizantes, destacando que é preciso ter paciência enquanto prossegue a contagem dos votos. Ao mesmo tempo, ele também observou que acredita na sua vitória. “Mantenham a fé, rapazes, nós venceremos”.

Para garantir a contagem precisa de todos os votos, Biden criou uma fundação chamada Biden Fight Fund. Isto é afirmado em uma mensagem postada nesta quarta-feira no site do político. Explicando a necessidade da fundação, ele disse:

Para garantir que todos os votos sejam contados, estamos organizando a maior campanha de defesa eleitoral já realizada. Porque o povo americano, e não Donald Trump, determina o resultado da eleição.


Joe Biden foi vitorioso nos hesitantes estados de Wisconsin e Michigan. De acordo com dados preliminares, em Wisconsin, ele obteve 49,4% dos votos, contra 48,9% de Donald Trump, e em Michigan essa proporção foi de 49,9% contra 48,6%.

Especialistas americanos observam que a “onda azul” (a cor simbólica do Partido Democrata), apesar de várias pesquisas pré-eleitorais, não aconteceu. Ao mesmo tempo, independentemente de quem se torne o próximo presidente dos EUA, o país continua extremamente polarizado.

Os especialistas também expressam temores de que os apoiadores de ambos os lados possam recorrer à agitação e que os resultados da eleição presidencial sejam contestados na justiça, juntamente com a demanda por uma recontagem em vários estados.

John Lieber, da empresa de consultoria política Eurasia Group, observou que as pesquisas eleitorais previam a liderança de Joe Biden em uma série de estados hesitantes, como Ohio, ou em estados tradicionalmente pró-republicanos, como o Texas. Os resultados reais não confirmam isso.

O presidente Trump teve um desempenho melhor do que o previsto, em parte porque foi capaz de consolidar o eleitorado rural pela segunda eleição consecutiva, bem como melhorar sua posição entre os eleitores hispânicos e negros.

Ao mesmo tempo, Joe Biden conseguiu melhorar seu desempenho entre os eleitores suburbanos. Apesar da falta de uma vitória decisiva do Partido Democrata nesta eleição, o analista esperava que Joe Biden vencesse.

Se Joe Biden vencer, os partidários do presidente Trump podem recorrer a protestos e atos episódicos de violência, disse o chefe do Eurasia Group, Ian Bremmer. "Isso vai acontecer", disse ele durante uma entrevista coletiva, acrescentando que a única questão é se o próprio presidente Trump vai exortar seus partidários a tomarem as ruas.

Independentemente de quem ganhe as eleições presidenciais, o país continua extremamente polarizado, acrescentou o chefe do Grupo da Eurásia.

Fontes

ru Выборы в США говорят о крайней поляризации обществаVOA, 5 de novembro de 2020

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com