EUA reabrirão fronteiras aéreas para visitantes totalmente vacinados

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

25 de outubro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Agência VOA

Os Estados Unidos reabrirão em breve suas fronteiras aéreas para visitantes estrangeiros totalmente vacinados que tenham uma das três vacinas COVID-19 aprovadas ou que possam apresentar um teste COVID-19 negativo 24 horas após a viagem, anunciou a Casa Branca na segunda-feira.

As novas regras entrarão em vigor no dia 8 de novembro e "apenas exceções limitadas" serão permitidas, disseram autoridades do governo Biden durante uma entrevista coletiva com repórteres. Isso inclui isenções de vacinas para viajantes de cerca de 50 países com taxas de vacinação excepcionalmente baixas, que incluem algumas das nações mais pobres do mundo, muitas das quais na África. Crianças menores de 18 anos também estão isentas da exigência de vacina neste momento, mas ainda terão que apresentar teste negativo.

As vacinas aceitas incluem apenas as três aprovadas pela Food and Drug Administration: Moderna, Pfizer e Johnson & Johnson.

As isenções incluirão “certos participantes do ensaio clínico da vacina COVID-19, aqueles com contra-indicações médicas às vacinas e aqueles que precisam viajar por razões de emergência ou humanitárias”, disse a Casa Branca. Além disso, aqueles que recebem uma exceção devem concordar em ser vacinados nos EUA se pretendem permanecer por mais de 60 dias.

“O novo sistema também inclui requisitos de teste aprimorados, fortalecimento do rastreamento de contato, bem como mascaramento”, disse um alto funcionário da administração. “Esses são protocolos de segurança rígidos que seguem a ciência e a saúde pública para melhorar a segurança dos americanos aqui em casa e a segurança das viagens aéreas internacionais.”

Em 2019, quase 80 milhões de visitantes internacionais vieram aos EUA, de acordo com dados da U.S. Travel Association. Esse número atingiu sua cratera no início de 2020, quando a pandemia atingiu e a administração do ex-presidente Donald Trump impôs restrições que barraram dezenas de milhares de viajantes da maior parte do mundo.

Passageiros aéreos não vacinados - incluindo cidadãos norte-americanos não vacinados e residentes permanentes legais - agora precisarão apresentar um teste negativo um dia antes da partida. Crianças menores de dois anos não precisarão fazer o teste, e acomodações serão permitidas para pessoas que tenham documentado sua recuperação do vírus nos últimos 90 dias.

Fonte


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit