EUA emitem comunicado sobre a libertação do jornalista cubano Quiñones

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de setembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Os Estados Unidos emitiram um comunicado sobre a libertação do jornalista independente cubano Roberto de Jesus Quiñones, reiterando a injustiça de sua sentença.

"O governo dos Estados Unidos está muito feliz em ver o freelance Roberto de Jesus Quiñones se reencontrar com sua família após um ano de sofrimento injustificado como prisioneiro em Cuba", disse o secretário de Estado, Mike Pompeo, em nota divulgada no domingo. “Condenamos veementemente mais uma vez que ele foi injustamente preso simplesmente por fazer seu trabalho”.

Pompeo lembrou que em 7 de agosto de 2019, o regime cubano considerou Quiñones culpado por desobediência e o condenou a um ano em um campo de trabalho forçado.

“Sua detenção e julgamento foram caracterizados por um flagrante desrespeito ao Estado de Direito, que é típico do regime cubano”, disse o secretário de Estado. “As autoridades cubanas informaram Quiñones sobre a natureza das acusações poucos minutos antes do julgamento e não permitiram que seu representante legal estivesse presente no tribunal”.

“É uma pena que o regime cubano tenha prendido um jornalista cujo único 'crime' é buscar transparência”, disse o chefe da diplomacia americana. “O regime usa qualquer pretexto para silenciar seus críticos e violar os direitos humanos, incluindo o direito à liberdade de expressão e garantias de um julgamento justo”.

“Apelamos aos nossos parceiros democráticos em todo o mundo para que façam do respeito pelos direitos humanos um pré-requisito para qualquer relação com Cuba”, resumiu Pompeo.

Fontes

ru США выступили с заявлением в связи с освобождением кубинского журналиста Киньонеса — VOA, 7 de setembro de 2020.

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit