EUA e outros países preocupados com a situação dos direitos humanos em Hong Kong

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

9 de agosto de 2020

O Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo e seus homólogos — os Ministros das Relações Exteriores da Austrália, Canadá, Nova Zelândia e Reino Unido — emitiram uma declaração conjunta sobre a deterioração da situação dos direitos humanos em Hong Kong, expressando sérias preocupações sobre a desqualificação injusta de candidatos às eleições para o Conselho Legislativo de Hong Kong e um adiamento desproporcional dessas eleições.

“Essas medidas estão minando o processo democrático que é fundamental para a estabilidade e prosperidade de Hong Kong”, disse o comunicado conjunto.

“Estamos profundamente preocupados com a introdução de Pequim de uma nova Lei de Segurança Nacional que mina os direitos e liberdades fundamentais dos residentes de Hong Kong”, disseram os chefes dos departamentos diplomáticos dos cinco países.

Eles pediram eleições verdadeiramente livres, justas e confiáveis, e exortaram o governo de Hong Kong a restaurar os direitos dos candidatos suspensos "para que as eleições ocorram em um ambiente propício ao gozo dos direitos democráticos e liberdades consagrados na Lei Básica".

"Pequim prometeu aos residentes de Hong Kong autonomia e liberdade", comforme "na Declaração Conjunta China-Reino Unido, que é um tratado registrado na ONU", lembraram os ministros, "e deve cumprir suas obrigações. Instamos o governo de Hong Kong a realizar eleições o mais rápido possível".

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com