Donald Trump perdeu, mas o Partido Republicano não

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Joe Biden, presidente dos Estados Unidos

9 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O democrata Joe Biden derrotou Donald Trump para ganhar a presidência dos Estados Unidos e está a caminho de ganhar até 306 votos eleitorais, um total que corresponderia ao que Trump exagerou como um “deslizamento de terra” quatro anos atrás. Em um ano eleitoral típico, tal vitória significaria que Biden teria levado outros democratas com ele. Em vez disso, vários candidatos democratas promissores ao Senado dos Estados Unidos e à Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, incluindo os atuais, perderam.

Para Trump, a situação era inversa. Sua popularidade entre os eleitores de sua base ajudou a proteger os republicanos em exercício, mas não foi suficiente para salvá-lo. Ele ganhou mais votos para presidente do que qualquer outro candidato. Exceto Biden. A rejeição de Trump foi pessoal.

Trump consegui votos de áreas onde já tinha um núcleo de apoio, na América rural e em pequenas cidades. Biden fez o mesmo, só que mais, nas áreas urbanas e suburbanas da América, ao mesmo tempo em que manteve as margens em algumas áreas rurais. O resultado não mudou o fato de que grande parte do país ainda fala duas línguas políticas diferentes.

“Isso desafiou as expectativas de todos. Todos disseram que se Joe Biden vencer, os democratas vencem o Senado. Se Trump ganhar, os republicanos ganharão o Senado ", disse Rahm Emanuel, o ex-prefeito de Chicago e chefe de gabinete do presidente Barack Obama." Não foi isso que aconteceu.

“A vida não é binária", disse Emanuel. "É mais complicado. A Flórida, um estado que votou em Trump, votou no salário mínimo. Illinois, um estado que votou em Biden, rejeitou um imposto de renda progressivo."

“Está claro que havia mais frustração do eleitor com Trump do que com a ideologia do Partido Republicano”, disse Mike Murphy, estrategista de várias campanhas presidenciais republicanas que rompeu com seu partido por causa de Trump.

Muitos eleitores ofereceram um refrão consistente sobre Trump: eles gostavam de suas políticas, mas não podiam tolerar sua personalidade movida a raiva, seu uso constante do Twitter como uma arma e a maneira como ele ridicularizava qualquer pessoa que ousasse discordar dele.

O apelo de Biden para um retorno à decência e seu apelo para ser um presidente para todos os americanos e não apenas a base de seu partido, foi uma parte importante de ele conseguir ser eleito.

Mas a proximidade da disputa, mesmo com os índices de aprovação persistentemente baixos do presidente, também foi um testemunho do poder inerente de um candidato à reeleição. Há uma razão pela qual apenas três titulares eleitos antes de Trump perderam em quase um século.

Trump perdeu, porque suas ações e retórica nos últimos quatro anos o tornaram intragável para a maioria dos americanos.

Biden foi claramente visto como uma alternativa necessária e aceitável. Ele atendeu ao desejo nacional de parar o "barulho", de virar a página de um período tão marcado pela raiva e ódio inspirado pelos brancos da Casa Branca.

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit